Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



LINGUAGEM DO NHEM-NHEM

Segunda-feira, 28.04.14

Era uma vez uma velhinha

Que andava aborrecida

Dizendo sempre sozinha:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

A pobre e boa velhinha

É que estava sempre em casa

Por isso resmungava sozinha:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Tanto a velha falava assim

Que até quando alguém passava:

Dizia, julgando que estava sozinha:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

O gato, no canto da cozinha

Escutando a boa velhinha

Principiou também a miar assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

E quando a velha zangada,

Resmungava com o gatinho

Ele respondia-lhe sempre assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Depois veio um cãozinho,

Que morava na casa vizinha

Também começou a falar assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Uma cabra que pastava ali pertinho,

Ouvindo o cão e o gato

Começou também a berrar assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Um pato que a velha tinha

Também não se fez rogado

E logo começou a grasnar assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Até o galo e as galinhas

Que punham ovos para a velhinha

Começaram a cacarejar assim

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Uma vizinha da vellhinha

Que era muda, não falava,

Também começou a gritar assim.

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Todos quiseram aprender

A falar de noite e de dia

Aquela linda melodia:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

De maneira que a velhinha

Que não tinha companhia

E falava sempre sozinha:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Ficou toda contente

Pois mal a boca abria

Logo todos lhe respondiam:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

E até os meninos da escolinha,

Ouvindo a história da velhinha,

Também aprenderam a dizer:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

 

E quando a professora falava

Mandavam calar os meninos

Falavam como eles assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

E a vizinha na sala do lado,

Ouvindo a colega falar

Falava com os meninos assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Depois as outras professoras

Também não ficaram atrás

E todas falavam assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

E até as auxiliares ouviram

Ouvindo meninos e educadoras

Começaram a falar assim:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

 

Quando chegaram a casa

Os meninos contaram a história da velhinha

E os pais também começaram a falar:

Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem-Nhem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 15:50

ELEFANTE NA SOPA

Segunda-feira, 28.04.14

Quando entrei na sala de jantar, da casa da prima Secundina, faltava marcar o último. A esperança, nesse momento, era vermelha e o azul tremia, tímido e expectante. Admirado, interroguei a prima Secundina, sobre a causa de tal descalabro. Ela esclareceu:

- Coincidia com o agendado há muito. Cometeram o primeiro erro em Coimbra. Arrastar o jovem promissor para voos tão altos, tirá-lo duma canada íngreme e sinuosa e enfiá-lo, sem mais nem menos e de repente, numa auto-estrada, fora um enorme disparate, Agora, estava patente um inequívoco desconforto.

- Desastre completo... Falha fulgorao Azul e a festa é, decididamente, forasteira.

A prima Secundina gostou da surpresa e saltitou contente perante a hipótese de ornamentar a sua sala com fitas de um colorido vermelho, inesperadas e abrupto.

O orgulho da glória nacional traz consigo a tragédia, dura, platinada e explosiva. Bem merecem…Para abater o orgulho e a vanglória:

- Então, meu caro, diga-me o que é que se passa para eles caírem com tamanha monstruosidade e em atmosfera tão enigmática? – Pergunta a minhaprima.

A resposta é grandiosa e chega mesclada de pedaços de ética e de bem-fazer, unidos ao espírito de missão e compromissos de honra.

- Agrada-me esperar que a nova época vai ser diferente, muito diferente. Vão ver!. Não imagina o tempo que se perde quando os meninos querem fugir. Que vão! Vêm outros, menos carismáticos mas melhor ensinados. Verão no verão.

A mesa parece querer sorrir e disfarçar o sombrio que irrompe. Um senhor de verde tenta desviar as atenções atirando para o ar brevidades esvoaçantes, relacionadas com as apostas do Bet 365.

O voo parte atrasado, mas parte

De repente, cai um elefante sobre a sobremesa, e acerta no prato da sopa. Por sorte, o prato era azul e não era o da prima Secundina…

Nesta neste azul, quando se convidam vermelhos, deve-se sempre ter cuidado com os pratos da sopa, para neles não caírem elefantes.

Desta feita, caiu um… e grande.

So delicious... I enjoy it.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 15:24





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Abril 2014

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930