Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



OS DE 1958/59

Sábado, 05.07.14

No ano lectivo de 1958/59, matricularam-se no Seminário Menor de Santo Cristo, em Ponta Delgada, os seguintes alunos: António Adelino Rocha, de S. Bartolomeu, Terceira, António Andrade Varão do Rosário, Lago, S. Miguel, António Filomeno Maia Gouveia, de S. José, Ponta Delgada, S. Miguel, António Francisco Ferreira, Povoação, S. Miguel, António Pimentel, Lomba Santa Barbara, S. Miguel, que não chegou a completar o 1.ºano, Carlos Alberto, de Ponta Delgada, S. Miguel que também saiu no 1.ºano, Carlos Joaquim Fagundes, da Fajã Grande, ilha das Flores, Carlos Medeiros Sousa das Capelas, S. Miguel, Eugénio Melo, de Santo Amaro, ilha do Pico que adoeceu, não transitando de ano, Eugénio Ribeiro Carvalho, da Casa da Ribeira, Terceira, Fernando Sousa Mota, das Capelas, S. Miguel, Gualter Cordeiro Dâmaso da Ribeira Grande, S. Miguel, mas com residência em Ponta Delgada, Humberto Sousa Clementino, Lomba da Maia, S. Miguel, que reprovara no ano anterior, João Carlos Resendes Carreiro, da            Fajã de Baixo, S. Miguel, João Manuel Vieira Dowling, natural da Fajã Grande, ilha das Flores mas residente no Corvo, que abandonou o Seminário logo no 1.º trimestre, João Manuel Ferreira, das Furnas, S. Miguel, João Vasco, de Santo António-Capelas, S. Miguel que também saiu ao longo do 1.ºano, Jorge Manuel Nascimento Cabral, de S. Pedro, Ponta Delgada, S. Miguel, Jorge Manuel Raposo da Povoação, S. Miguel que saiu no 1.ºano, José Adriano Borges Carvalho da Casa da Ribeira, Terceira, José Adriano Costa de S. Bartolomeu, Terceira e que também saiu no 1.ºano, José Augusto Melo Borges, de S. Pedro Nordestinho, Nordeste, S. Miguel, José Avelino Borges, da freguesia da Luz, Graciosa e que também abandonou o Seminário no 1.ºano, José Fernandes, da Ribeira das Tainhas, S. Miguel, também abandonando o curso no 1.ºano, José Francisco Rodrigues Costa, das Capelas, S. Miguel, José Francisco Lima Oliveira, de S. José, Ponta Delgada, S. Miguel, José Gabriel Machado Ávila, das Lages do Pico, José Manuel Medeiros Franco, de S. Pedro Nordestinho, Nordeste, S. Miguel, José Maria Bettencourt Ávila, dos Rosais, ilha de S. Jorge, José Maria Furtado Couto, da Algarvia, S. Miguel, Luís Brum Galvão, de Rabo de Peixe, S. Miguel, que saiu no 1.ºano, Manuel Faria de Castro do Capelo, ilha do Faial, mas residente na Praia do Norte, da mesma ilha, Manuel Francisco Pavão Moniz dos Mosteiros, S. Miguel, que também saiu no 1.ºano, Manuel Jacinto Vasconcelos, de Vila do Porto, Santa Maria que apenas se matriculou, não chegando a entrar no Seminário, Noé Borges Carvalho da Casa da Ribeira, Terceira, Octávio Henrique Ribeiro de Medeiros, de Povoação, S. Miguel            e Onésimo Teotónio. Pereira de Almeida, do Pico da Pedra, S. Miguel.

No segundo ano matricularam-se e passaram a integrar o curso; António Victor Serpa, natural do Lajedo, ilha das Flores, mas residente na Horta, ilha do Faial, Gastão Altino Furtado de Oliveira, natural de S. José de Ponta Delgada,         Jacinto Manuel da Costa Almeida, natural da Ribeirinha, S. Miguel, que reprovara o 2º ano, no ano lectivo anterior e Luís Francisco, também de S. José de Ponta Delgada, S. Miguel que saiu nesse mesmo ano.

Destes alunos, matricularam-se no Seminário de Angra, no ano lectivo de 1960/61, os seguintes: António Adelino Moules da Rocha, António de Andrade Varão, António Filomeno de Maia Gouveia, António Victor de Serpa, Carlos Joaquim Fagundes, Carlos de Medeiros Sousa, Eugénio Ribeiro Carvalho, Fernando de Sousa Mota, Gualter Cordeiro Dâmaso, Humberto de Jesus Clementino, Jacinto Manuel da Costa Correia, João Carlos Resendes Carreiro, Jorge Manuel do Nascimento Cabral, José Adriano Borges de Carvalho, José Augusto de Melo Borges, José Francisco de Lima Oliveira, José Francisco Rodrigues Costa, José Gabriel Lopes Machado Ávila, José Manuel de Medeiros Franco, José Maria Bettencourt de Sousa e Ávila            , José Maria Furtado do Couto, José Victor Menezes de Sousa, natural da freguesia da Conceição, Horta ilha do Faial e residente em Santa Luzia do Pico, que não frequentou o Seminário Menor de Ponta Delgada, Manuel Faria de Castro, Noé Borges Machado Carvalho, Octávio Henrique Ribeiro de Medeiros, Onésimo Teotónio Pereira de Almeida e Gastão Altino Furtado de Oliveira. No ano lectivo seguinte, ou seja 1961/62, matriculou-se João Elias Maurício de Mendonça, natural da freguesia da Ribeira das Tainhas, Lagoa, ilha de S. Miguel.

Completaram o curso de Teologia, no ano lectivo de 1969/70, tendo-se ordenado os seguintes alunos: António Andrade Varão, Carlos Joaquim Fagundes e Humberto de Sousa Clementino.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 20:05

EM PROL DO ARTESANATO

Sábado, 05.07.14

O Manuel Alves nasceu a 7 de Outubro de 1947, na freguesia de São João do Pico. Frequentou o Seminário de Ponta Delgada e o de Angra, onde fez grande parte da sua formação. Actualmente reside nas Lajes do Pico dedicando-se ao artesanato, tendo participado e exposto em variadíssimos certames nacionais e internacionais. É também o responsável pela edição e publicação do jornal semanário “O Dever” e colabora no serviço religioso e nas actividades pastorais da paróquia da Matriz daquela vila picoense

O Manuel participou no Encontro com grande interesse e emotividade. Senhor de uma bonomia intransigente, de uma bondade tranquila, duma simplicidade irreverente, sempre disposto a ajudar, a servir, a estar ao lado e a ouvir os outros. Chegou ao Encontro, sem deslumbramento para mim, por quanto, nos últimos tempos, nos encontráramos, com alguma frequência, no Pico. Mas vinha carregando o eloquente e comunicativo silêncio de quem observa, vê e sente. Espicaçado por abraços de saudade aos que há muito não via, sacudido por fulvos de júbilo por reencontrar aqueles com quem, nos nos últimos tempos, se relacionara, foi partilhando com todos a sua calma, tranquilidade, bondade e desvelos de uma dignidade de vida, de competência no trabalho e de honestidade de costumes. Participou no Encontro com enlevo, envolvendo-se em todas actividades, espicaçando sentimentos e vivenças, solidificando a amizade e o carinho que a todos uniu no passado e continua a unir no presente. E o Manuel, assim como todos os outros que se deslocaram de propósito a Angra para o “Encontro”, participou, envolveu-se e imiscuiu-se em tudo os eventos, jogou, passeou, recordou, cantou e ajudou a homenagear os vivos e a recordar a memória dos que já pariram. Por tudo isso, foi mais um dos “Senhores” do Encontro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 09:29

SOPAS DO ESPÍRITO SANTO

Sábado, 05.07.14

Era por estas alturas do ano que se fazia a festa do Espírito Santo da Casa de Baixo e muitos americanos, ao regressar davam os seus jantares com as tradicionais Sopas do Espírito Santo. Embora pouco vulgares, na década de cinquenta, na Fajã Grande, havia quem as fizesse. Para isso e para além da carne de vaca que ou era apalavrada por altura das festas de Espírito Santo, ou era recebida como esmola quando algum americano prometia um jantar, necessitava de alguma carne de galinha, no caso de a de vaca ser pouca,, um bom naco de toucinho, um mancheia de folhas de couve e algumas louro, um bom kilo

de batatas, duas cebolas e cabeças de alho. Por vezes juntava-se repolho, batatas doces, sangue e fígado cozidos e uma boa quantidade de fatias de pão de trigo e, preferencialmente, duro, folhas de hortelã e temperos vários. Geralmente acrescentava-se linguiça, o que fazia com que estas sopas mais se assemelhassem a um bom cozido à portuguesa.

Para a confecção, colocava-se a cebola, o alho, o louro e os outros temperos num saco de pano ou fazenda fina, feito em casa, num caldeirão de ferro meio de água. Colocavam-se a cozer as carnes temperadas de sal, juntamente com a couve. Quando bem cozida retira-se as carnes e na água coloca-se os restantes ingredientes até cozerem por completo. A linguiça coze-se à parte. Aquece-se o caldo e vaza-se por cima das fatias de pão, do sangue e do fígado cortado, juntando-se as batatas. Podia comer-se primeiro a sopa e depois as carnes com as batatas ou juntar tudo num mesmo prato.

Duma forma ou de outra, eram excelentes estas Sopas do Espírito Santo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por picodavigia2 às 09:05





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter