Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



MARÇO DAS VINHAS E DAS BATATA

Segunda-feira, 09.03.15

O Pico, em Março, atafulha-se numa das mais extravagantes e enigmáticas etapas da sua safra original, pura e primitiva, o cultivo da vinha. A etapa que se encaixa em março é a da poda das vinhas. No Pico, podam-se as vinhas em março, no vazante posterior à primeira lua cheia, sendo que nesse dia é proibido, por imperativos meteorológicos, podar. Daí que por estes dias, posteriores a cinco, os currais, os maroiços e os terrenos onde a vinha se cultiva atulham-se de podadores. Uns mais experientes e com maior performance, com um amplo e recheado currículo, outros debutantes, principiantes sem experiência, lançando-se numa inebriante mas cansativa aventura. Podar não exige grande sabedoria nem nenhum mestrado mas implica um conhecimento empírico, intuitivo, que os podadores picoenses vão transmitindo de geração em geração. Os cortes, no ramo selecionado, devem ser feitos em suta, isto é de forma oblíqua, dois ou três nós acima do rebento na Saibel e três ou quatro na Isabel. De resto, uma boa e bem afiada tesoura, muita força e destreza e a poda está feita. As vinhas rebentam, florescem e encher-se-ão de belos e sumarentos cachos.

Mas março é também, aqui no Pico, o mês da semeadura das batatas. As batatas destinadas à semente devem ser as melhores, sendo regra geral compradas, sob a designação de batata de semente. Depois de adquirida a batata, antes de ser semeada deve ser cortada em generosos pedaços, sendo que cada um tenha, no mínimo, um olho, a fim de que, depois de lançado à terra dê origem a um forte e destemido pé de batata. No subsolo desenvolver-se-ão excelentes e saborosas batatinhas. Aconselha-se que as batatas assim cortadas aguardem a semeadura e permaneçam durante dois ou três dias. Só então deverão ser semeadas. Tarefa um pouco mais árdua do que a poda da vinha, porquanto, para quem não tem maquinaria adequada, terá que abrir, com algum esforço, regos após regos, onde as batatas são carinhosamente colocadas. Feito com arte e sabedoria consegue-se que cada rego se cubra com o abrir do que se lhe segue e assim a batata fique perfeitamente soterrada. Contrariamente à vinha que nasce entre as rochas de lava e em terrenos pedregosos, a batata requer bons terrenos de leiva de boa qualidade, devendo os mesmos serem estrumados ou adubados utilizando-se, preferencialmente, o estrume verde ou seja o tremoço.

Março ainda é o mês do cebolinho, das favas, feijões, ervilhas ou da plantação de alfaces e pimentos. Segundo a tradição picoense e a sabedoria popular, os produtos que germinam ou se desenvolvem debaixo da terra devem ser lançados à terra no crescente enquanto os que crescem sobre a terra devem sê-lo no vazante. Março de sol radiante e de tempo bonançoso, no Pico, é também o mês das vacas parirem, de se amarrarem à estaca, alimentadas por forrageiras, adubando o terreno que em abril será lavrado e condenado ao cultivo do milho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 11:07

MARÇO VENTOSO

Segunda-feira, 09.03.15

“Quando vem Março ventoso, Abril sai chuvoso.”

 Provérbio antigo utilizado na Fajã Grande afirmando, sem sombra de dúvida, que quando fazia muito vento no mês de março, significava que no mês de abril iria chover muito. Trata-se de um adágio meteorológico muito simples e com possibilidade de ser sempre verdadeiro nas Flores, uma vez que março ainda é um mês de vento e abril de “águas mil”. Este adágio, como é óbvio, não tinha nenhum sentido figurado, o que aliás acontecia com todos os adágios deste género.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por picodavigia2 às 11:05





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Março 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031