Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A COROA DA CUADA

Quinta-feira, 12.12.13

Conta uma antiga lenda, que há muitos anos um barco de piratas, comandados por um rei mouro, atacou na costa oeste da ilha das Flores, na zona das Fajãs. Cuidavam os malvados que os habitantes daqueles pequenos povoados da ilha, rodeados por tão altas rochas, não conseguiriam defender-se, nem teriam quem os ajudasse na peleja. Assim seria mais fácil atacar aquele povo indefeso, retirando-lhe todos os bens que possuíssem, nomeadamente ouro, se o houvesse e alimentos que os havia, de certeza. A população, porém, quando se viu atacada e com poucas possibilidades de defesa juntou-se toda, invocou o auxílio do Divino Espírito Santo e preparou-se para se defender dos infiéis. Assim conseguiram juntar forças, oferecer resistência e impedir aqueles ladrões e assassinos de os roubarem e matarem, obrigando-os a abandonar a ilha sem fazerem mais pilhagens e roubos. Aconteceu, no entanto, que durante a luta, o rei mouro que comandava os invasores atacantes perdeu a coroa e ao fugir esqueceu-se dela, deixando-a abandonada no meio de um campo de trigo. Era uma magnífica coroa de prata. Já em viagem, no mar alto, o rei mouro deu por falta da coroa e lembrou-se que a tinha deixado na ilha que tinham tentado saquear. O barco rumou novamente em direcção às Flores, em busca da preciosa coroa. Ora vendo a embarcação dos piratas aproximar-se novamente da ilha e temendo que desta feita não os venceriam, uma mulher levou a coroa para a Cuada, escondendo-a na casa do Espírito Santo, colocando-a sobre o altar como se fosse o símbolo do Paráclito, de verdade. De repente levantou-se um enorme temporal e o barco dos piratas foi obrigado a inverter o rumo e navegar na direcção do mar alto, abandonando definitivamente a ilha.

Cuidando que se tratava de um milagre do Divino Espírito Santo, o povo juntou-se rezando e cantando junto da coroa que passou a utilizar, depois de devidamente adaptada e benzida, como símbolo do Espírito Santo, na Casa do Espírito Santo da Cuada, a mais antiga da freguesia da Fajã Grande.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 17:54





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031