Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



RIO SECO

Domingo, 05.01.14

margens de sombras

leito de resteva,

caudal entontecido,

amarfanhado,

morto      como

um espelho estilhaçado,

que já não reflecte o brilho da aurora,

como

um campo ressequido,

que não se encharca com o alarido das chuvas.

 

rio inóspito,

esponjado,

que já não se abre às quilhas dos barcos,

nem amamenta o sorriso dos peixes.

 

rio seco,

derrelicto.

onde     navegam fantasmas

e onde nada o silêncio

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 00:07





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031