Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



AS FONTES E O CHAFARIZ

Quarta-feira, 22.10.14

Na década de cinquenta e após o abastecimento de água no início da mesma, existiam na Fajã Grande onze fontes de fornecimento de água ao público, sendo que uma delas se apresentava com formato de chafariz, uma vez que possuía mais do que uma torneira. Paralelamente existiam apenas quatro bebedouros para o gado, possuindo todos eles fontes, sendo que uma delas, no Alagoeiro, corria permanentemente, pois não tinha torneira.

As fontes estavam assim distribuídas pelas ruas da freguesia: duas na Assomada, duas na Fontinha, duas na Rua Direita, uma nas Courelas, uma na Rua Nova, uma na Tronqueira e duas na Via d’Água. Estas fontes eram muito procuradas para abastecimento de água porquanto eram poucas as casas que, na altura, estavam abastecidas com água. Mas as fontes também eram lugares de encontro, descanso, conversas, namoricos e até de brigas e ajuste de contas.

Algumas destas fontes tinham um formato antigo, uma espécie de furna ou nicho construído em argamassa e possivelmente seriam fontes antigas, anteriores à construção da rede pública de água, sendo abastecidas por canalizações muito rudimentares ou por alguma nascente que existisse ali por perto. Era o caso de uma fonte existente a meio da Fontinha, conhecida por Fonte Velha. Uma outra semelhante existia na Assomada, denominada apenas por Fonte. As outras, no geral, eram construções simples, em pedra e cimento, em forma de quadrado, com uma superfície lisa e apenas com uma peanha na base, onde se colocava o vasilhame, enquanto enchia. Para além desta Fonte antiga, existente na Assomada, no cruzamento que dava para a primeira canada do Pico e em frente à casa das Senhoras Mendonças, existia uma oura, no cimo da rua, logo abaixo da bifurcação que dava para o Caminho da Missa e junto à casa do Francisco de José Luís. Na Fontinha, para além da Fonte Velha, existia uma segunda, lá bem no cimo da Rua, por detrás da casa do tio Britsa. O único chafariz existente na freguesia era privilégio da Rua Direita, era a única fonte de abastecimento de água com duas torneiras, possuindo alguns ornamentos no frontispício e situava-se no largo da entrada para a Casa do Espírito Santo de Cima. Curiosamente a segunda fonte existente na principal e mais aristocrática rua da freguesia localizava-se na empena sul da Casa do Espirito Santo de Baixo, edifício onde também funcionava a escola. As fontes das Courelas, Tronqueira e Rua Nova situavam-se mais ou menos a meio das respetivas ruas. Na Via d’Água uma das Fontes também se escarrapichava a meio da viela, enquanto a segunda ficava lá mais para baixo, no início do Porto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por picodavigia2 às 08:56





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031