Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



DIA MUNDIAL DA POESIA

Sexta-feira, 21.03.14

A poesia é uma das sete artes tradicionais, pela qual a linguagem humana é utilizada com fins estéticos, ou seja de manifestar e comunicar algo em que tudo pode acontecer, dependendo quer da criação e imaginação do autor quer da compreensão e interpretação do leitor. Na realidade, se o sentido da mensagem poética é pertença do autor, cada leitor como que se torna um poeta, na medida em que a compreende e a interpreta à sua maneira. De forma a tornar-se, ele próprio, também um criado, um outro poeta. A poesia identifica-se com a própria arte, dado que esta também é uma forma de linguagem, ainda que, não necessariamente, verbal. Acredita-se, inclusivamente, que a poesia como uma forma de arte seja anterior à própria escrita. Muitas obras antigas, como os Vedas indianos, os Gathas de Zoroastro, a Odisseia. a Ilíada e até alguns livros da Bíblia, como os Salmos parecem ter sido compostas antes da invenção da escrita em forma poética e transmitidas oralmente, para ajudar a memorização e a transmissão oral nas sociedades pré-históricas e antigas. Sabe-se também que os provérbios populares se foram transmitindo de geração em geração, pelo mesmo processo. Daí a sua estrutura. Isto permite concluir que a poesia aparece entre os primeiros registros da maioria das culturas letradas, com fragmentos poéticos encontrados em antigos monolitos, pedras rúnicas e estelas, etc.

O poema épico mais antigo sobrevivente da humanidade é a Epopeia de Gilgamesh, originado no terceiro milénio a.C. na Suméria, actual Iraque, e que foi escrito em escrita cuneiforme, em tabletes de argila. Outras antigas poesias épicas incluem os épicos gregos da Ilíada e Odisseia, os livros iranianos antigos Gathas Avesta e Yasna, o épico nacional romano Eneida, de Virgílio, e os épicos indianos Ramayana e Mahabharata, entre outros

A poesia, independente da forma como é expressa ou escrita, é sempre a expressão de um sentimento, como por exemplo o amor, a saudade, a nostalgia, etc. O poema é um sentimento expressado em belas palavras, palavras que tocam a alma. Mas a poesia é diferente de poema. O poema é a forma em que está representada ou escrito o sentimento que a mensagem encerra, enquanto a poesia é a forma literária utilizada e que dá a emoção ao texto.

A poesia pode fazer uso da chamada licença poética, que é a permissão para extrapolar o uso da norma culta da língua, tomando a liberdade necessária para recorrer a recursos como o uso de palavras de baixo-calão, desvios da norma ortográfica que se aproximam mais da linguagem falada ou a utilização de figuras de estilo como a hipérbole ou outras que assumem o carácter "fingidor" da poesia, de acordo com a conhecida fórmula de Fernando Pessoa "O poeta é um fingidor".

A matéria-prima do poeta é a palavra e, assim como o escultor extrai a forma de um bloco, o escritor tem toda a liberdade para manipular as palavras, mesmo que isso implique romper com as normas tradicionais da gramática. Limitar a poética às tradições de uma língua é não reconhecer, também, a volatilidade das falas.

No dia poesia, façamos versos.

 

NB – Dados retirados da Wikipédia.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por picodavigia2 às 16:28





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Março 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031