Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



MALDIÇÃO SOBRE A ETERNIDADE

Terça-feira, 18.02.14

A António Osório

 

(Pedro da Silveira)

 

Das árvores que plantei

nenhuma já me pertence

e de quase todas nem comi

ou sequer vi os frutos.

Sempre soube que devemos morrer

E penso que é melhor

não se saber quando nem como.

E quanto ao que deixámos,

não se recorde de quem foi.

Que só assim somos eternos.

 

Pedro da Silveira,  Poemas Ausentes,

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por picodavigia2 às 09:23





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Fevereiro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728