Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



MEMÓRIAS (II)

Domingo, 24.08.14

(UM POEMA DE PEDRO DA SILVEIRA)

4

 

A água do poço, quieta.

E uma eiró que desliza

para a treva do fundo.

 

5

 

Na calma azul do dia,

um pessegueiro florido.

Eterno e efémero.

 

Pedro da Silveira in Poemas Ausentes

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por picodavigia2 às 14:54





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Agosto 2014

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31