Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O MUNDO ENSANDECEU

Quinta-feira, 24.07.14

É verdade que este mundo em que vivemos, nos últimos cinquenta anos, evoluiu, em termos científicos e tecnológicos, substancialmente. Há quem afirme que, nas últimas cinco décadas o mundo avançou quinhentos anos, o que, em boa verdade, não será um exagero. Todos nos deslumbramos com este avanço, sobretudo com o tecnológico, e dele tiramos excelentes benefícios, entrelaçados com magníficas comodidades que nos proporcionam uma existência mais agradável, mais cómoda e, sobretudo, mais feliz.

Paralelamente, no entanto, o mesmo mundo parece ter ensandecido. Não bastavam as catástrofes naturais, a que o homem não pode pôr cobro, e que vêm prejudicar, substancial e atrozmente, por vezes até aniquilar, a sua própria vida. São as crises sísmicas, os terramotos, os ciclones, os desabamentos ou tantos outros acidentes aéreos, terrestres ou marítimos, as tragédias resultantes do desequilíbrio das forças da natureza que o homem embora, nalguns casos, as possa prever, não as pode impedir.

O pior, no entanto, é que a tudo isto, se juntam uma série de atrocidades, das quais o verdadeiro e único culpado é o próprio homem, que têm assolado o mundo, nos últimos tempos, com destaque para o permanente tiroteio entre Israelitas e Palestinianos, os conflitos no Médio Oriente, a guerra na Ucrânia, na Síria, na África e em tantas outras paragens do universo, o rapto de dezenas de jovens, os maus trato de crianças e idosos, a fome, o abandono e a solidão de tantos humanos, o terrorismo e o recente abatimento de um avião das linhas aéreas da Malásia, para não falar do desaparecido há uns meses e do qual nada se sabe. 

Na verdade, a recente queda do avião da Malaysia Airlines, nos céus da Ucrânia, com duzentas e noventa e oito pessoas a bordo, chocou o mundo inteiro e vem por a nu a bruta e selvagem desumanidade da humanidade e alertar os humanos para a tremenda indignidade que revelam as suas relações, mostrando que o homem é o lobo do homem, isto é, o seu pior inimigo. É verdade que, segundo notícias que circulam, “o corredor aéreo onde o avião circulava não devia estar aberto, e que o piloto, ou quem lhe deu orientações de voo, minimizou o risco. Mas verdade é que a Malaysia Airlines perde, num curto espaço de tempo, dois dos seus aviões, praticamente superlotados, devido a causas puramente humanas e difíceis de explicar, sobretudo, no caso do primeiro, sobre cujo desaparecimento existem as mais terríveis e aberrantes suspeitas. Na verdade, o ser humano revela-se como o mais desumano e estúpido dos animais.

Recorde-se, no entanto, que o abate do voo da Malaysia Airlines, na quinta-feira passada, apesar de ser o que vitimou maior número de pessoas, no entanto, não é inédito nos últimos cinquenta anos. Antecederam-no outros, entre os quais:

A 4 de Outubro de 2001 um avião da Siberia Airlines, viajando da capital da Sibéria para Telavive, transportando 64 passageiros e 12 membros da tripulação, foi abatido sobre o mar Negro por um míssil ucraniano.

A 3 de Julho de 1988, durante a guerra entre Irão e Iraque, barcos americanos e iranianos debatiam-se no Golfo Pérsico. Nos meandros deste cenário, um Airbus 300, que era usado pelos iranianos para fins civis e militares, foi abatido pela marinha americana, que terá confundido o avião comercial com o militar F-14. Todos os passageiros que seguiam a bordo morreram.

O avião KAL007 foi, misteriosamente, derrubado a 1 de Setembro de 1983, vitimando 269 pessoas entre passageiros e tripulação, incluindo o congressista americano Larry McDonald.

No dia 27 de Junho de 1980, um avião da Itavia Airlines, que viajava de Bolonha para Palermo com 81 passageiros, foi abatido por um míssil, cujo a origem ainda hoje é desconhecida, despenhando-se no mar Tirreno, junto da Sicília.

No dia 21 de Fevereiro de 1973, um Boeing 727 pertencente à companhia Libyan Arab Airlines, que viajava de Tripoli para o Cairo, perdeu-se e sobrevoou a península de Sinai, que estava sob controlo israelita desde 1967. Depois de alguns avisos, os israelitas abateram o avião vitimando 108 pessoas das 113 que iam a bordo. Sobreviveram quatro passageiros e o co-piloto.

Finalmente, a 27 de Junho de 1955, um avião da Companhia El Al que viajava de Viena para Telavive foi abatido por dois aviões militares MiG fighters, no espaço aéreo Búlgaro. Todos os 58 passageiros morreram. A Bulgária, mais tarde, admitiu a responsabilidade do ocorrido.

A maldade dos humanos, corrói, corrompe, destrói e mata os seus semelhantes! Os cadáveres são profanados para lhes roubar jóias, dinheiro e cartões de crédito. E os responsáveis não são responsabilizados. O mundo ensandeceu, de verdade!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por picodavigia2 às 12:21





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter