Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O PADRE FRANCISCO CONSTANTINO KORTH

Domingo, 19.01.14

Um dos mais insignes sacerdotes da ilha das Flores, do século XX, foi o padre Francisco Constantino Korth. Nasceu a 31 de Julho de 1881, na freguesia da Caveira, concelho de Santa Cruz das Flores, sendo de ascendência alemã, por parte da mãe. Em 1896, terminada a instrução primária, ingressou no Seminário de Angra do Heroísmo, onde se destacou pela sua inteligência e sucesso nos estudos. Em 1905 concluiu, com notável êxito e elevada classificação, o curso do Teologia, sendo pouco depois ordenado presbítero, regressando às Flores, onde celebrou a Missa Nova e iniciou a sua pregação pelas igrejas da ilha. Algum tempo depois, foi nomeado responsável pelo recentemente criado curato da Fazenda das Lajes das Flores, sendo o primeiro sacerdote a prestar serviço religioso, por nomeação, naquela localidade. Por essa razão foi inaugurada nesse ano, sob a presidência do ouvidor das Lajes, padre Filipe Madruga. a nova igreja daquela localidade, sendo pregador o próprio padre Korth.

A acção do cura Francisco Korth, na localidade da Fazenda, foi notável, pois para além de completar as obras da nova igreja, nomeadamente a construção os altares laterais e a aquisição de imagens e alfaias litúrgicas, lutou arduamente pele elevação da localidade da Fazenda, a freguesia e a paróquia. Infelizmente não o conseguiu, dado que a Fazenda só se constituiu como paróquia em 1959. O padre Korth manteve-se como cura da Fazenda das Lajes, durante toda a sua vida, embora conste que tenha rejeitado diversos convites promocionais e prescindido de colocações noutras localidades maiores, mais importantes e mais prestigiosas. Exerceu, no entanto, o cargo de Ouvidor das Lajes, durante vários anos.

Por tudo isto, o padre Korth gozava de grande respeito, prestígio e admiração, não apenas na Fazenda mas em toda a ilha das Flores, incluindo a Fajã Grande, onde se deslocava com muita frequência, sobretudo devido â sua amizade com o padre Bizarra. Aliás, na década de cinquenta ainda se ouviam ecos da sua competência e dignidade e sobretudo da sua erudita e eloquente oratória. A qualidade da sua pregação depressa se divulgou pela diocese, sendo, na altura, considerado um dos melhores e mais prestimosos pregadores dos Açores. Para além de elevada qualidade literária, os seus sermões eram ricos de conteúdo, seguindo sempre com rigor a doutrina cristã e as orientações religiosas e respeitando a hierarquia da Igreja Católica. Escrevia previamente os sermões de maior responsabilidade, fazendo-os com o brio e a dignidade que o caracterizavam, valorizando-os com os seus dotes naturais. Era um óptimo mestre no português e no latim, possuindo primorosos dotes oratórios, designadamente uma excelente dicção que muito o valorizava como pregador.

Conta-se, que certo dia, quando se encontrava a proferir no púlpito da igreja Matriz de Santa Cruz o sermão da Paixão, na Sexta-Feira Santa, certamente por ter visado o poder constituído com alguma afirmação proferida, foi-lhe dada, de imediato, voz de prisão pelo Administrador do Concelho. Mesmo do púlpito, depois de afirmar calmamente que se apresentaria logo que concluísse o sermão, o Padre Korth continuou a sua pregação. Seguidamente, descendo as escadas do púlpito e despindo as vestes religiosas, apresentou-se à respectiva autoridade.

A sua bondade, a sua sabedoria e a sua dignidade fizeram com que, em 1928 o Padre Korth fosse nomeado de Administrador do Concelho das Lajes das Flores, cargo que ocupou por mais de uma vez, sempre com isenção e justiça, não obstante nenhum outro benefício concelhio lhe ser particularmente atribuído nessa qualidade.

Diziam os que com ele privaram que era elegante e vestia a rigor, mantendo sempre o seu estatuto de clérigo, sem se envolver demasiado, respeitando todos para assim também ser respeitado e admirado quer por colegas ou superiores hierárquicos, quer por simples humildes paroquianos ou pelos amigos. Era considerado um excelente e credível conselheiro para os seus paroquianos e amigos e, muito especialmente, para todos os que para esse efeito o procuram. Uma das suas preocupações foi a educação e formação da juventude, pelo que ainda hoje é considerado, devido à sua influência como educador e disciplinador, como o responsável pelo progresso educativo, instrutivo e cultural dos jovens fazendenses.

À semelhança de outros sacerdotes do seu tempo, entre 1 de Julho de 1938 e 1 de Abril de 1940 visitou a Califórnia, onde tinha familiares e amigos e onde proferiu brilhantes e fluentes sermões, deixando em todos os que o ouviram saudosas recordações açorianas.

Faleceu subitamente em 16 de Janeiro de 1946, e os seus restos mortais encontram-se sepultados no Cemitério da freguesia da Fazenda. Francisco Korth deixou o seu nome ligado a excelentes poemas religiosos cantados, na altura, nas igrejas florentinas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 14:11





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031