Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



SANTA BÁRBARA LUZ DIVINA

Quinta-feira, 04.12.14

A ilha das Flores e, mais concretamente, a Fajã Grande, noutros tempos era, com muita frequência, assolada por violentas tempestades, acompanhas de trovões fortíssimos e relâmpagos assustadores. Para se proteger de tão assustadores catástrofes ou para implorar que elas se afastassem, o povo implorava a proteção de Santa Bárbara, exclamando: Santa Bárbara luz divina! Embora a igreja paroquial não possuísse imagem de Santa Bárbara, nem lhe fosse tributada grande devoção era a ela que, nestes momentos de angústia e aflição se implorava e pedia auxílio, uma vez que era considerada protetora por ocasião de tempestades, raios e trovões. Esta devoção à santa, apenas nos momentos das tempestades levou, inclusivamente, à criação de um adágio muito utilizado na freguesia: “Só te lembras de Santa Bárbara quando faz trovões.”

Era pois, Santa Bárbara, uma santa de grande devoção na freguesia. Mas o que ninguém sabia era que Santa Bárbara, padroeira de algumas freguesias açorianas, é celebrada, liturgicamente no dia 4 de Dezembro e a igreja considera-a santa virgem e mártir. A razão de ser invocada em momentos de trovoadas e tempestades prende-se com algumas lendas que se criaram a seu respeito.

Cuida-se que Bárbara terá nascido, nos finais do século III depois de Cristo, na cidade turca de Nicomédia, hoje chamada Izmit, situada nas margens do Mar de Mármara. Era a filha única de um rico e nobre, habitante desta cidade, que na altura pertencia ao poderoso Império Romano e que se chamava Dióscoro.

Por ser muito bela e, acima de tudo, rica, não lhe faltavam pretendentes para casamentos e o pai, supostamente com o objetivo de a proteger e afastar da sociedade corrupta daquele tempo, decidiu fechá-la numa torre. Na sua solidão, Barbara, tendo uma mata virgem como quintal, passava o tempo refletindo e interrogando-se, se toda aquela beleza natural seria criação dos ídolos que aprendera a cultuar com seus tutores ou se seriam obra de um Deus omnipotente.

Ora aconteceu que, passado algum tempo, o pai autorizou-lhe uma visita à cidade, durante a qual Bárbara teve oportunidade de conhecer e contatar alguns cristãos, que lhe falaram de Jesus e dos seus ensinamentos. Bárbara apaixonou-se por esta nova doutrina e, pouco tempo depois, batizou-se, tornando-se cristã. O pai, como represália, voltou a fechá-la na torre.

Certo dia, pai decidiu construir duas janelas na torre. Todavia, dias mais tarde, ele viu-se obrigado a fazer uma longa viagem. Enquanto Dióscoro viajava, Barbara ordenou a construção de uma terceira janela na torre. Além disso, ela esculpira uma cruz, símbolo do cristianismo, numa das paredes da torre

Ao regressar, o pai viu que a torre onde tinha trancado a filha tinha agora três janelas em vez das duas que ele mandara abrir. Indignado, perguntou à filha o porquê das três janelas. Ela explicou-lhe que isso era o símbolo da sua nova fé, simbolizava a Santíssima Trindade, mistério da religião que abraçara, o que deixou o pai furioso, porque ela se recusava a adorar os deuses pagãos.

A partir de então Bárbara começou a ser torturada. O próprio Dióscoro denunciou a filha ao Prefeito da cidade que a mandou torturar numa tentativa de a fazer renunciar à fé cristã, fato que não aconteceu. Por fim, como se mantivesse firme na sua fé, foi condenada à morte por degolação.

Reza ainda a lenda que durante a sua tortura em praça pública, uma jovem cristã de nome Juliana denunciou os nomes dos carrascos, e imediatamente foi presa e entregue à morte, juntamente com Bárbara. Ambas foram levadas pelas ruas de Nicomédia por entre os gritos de raiva da multidão. A Bárbara ter-lhe-ão cortado os seios, sendo, depois, conduzida para fora da cidade onde o seu próprio pai a executou, degolando-a. Quando a cabeça de Bárbara rolou pelo chão, um imenso trovão estrondou pelos ares fazendo tremer os céus e a terra. Um relâmpago flamejou pelos ares e atravessando o céu fez cair por terra o corpo da jovem.

Essa a razão por que Santa Bárbara passou a ser conhecida como “protetora contra os relâmpagos e tempestades" e é considerada a padroeira dos artilheiros, dos mineiros e de todos quantos trabalham com fogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por picodavigia2 às 15:00





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Dezembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031