Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XXIV)

Sábado, 12.03.16

Aguaceira – Chuva forte e intensa.a

Alantado – Forte, robusto (dizia-se das crianças).

Aparrear – Apertar. Comprimir.

Armar barulho – Ser o responsável por uma grande discussão ou uma briga.

Arregoa – Brechas ou rachas que se abrem nas paredes, geralmente das casas.

Atiradeira – Corda presa à cabeça duma rês e à rabiça do arado, a fim de conduzir e virar o animal enquanto se lavrava.

Bage – Vagem.

Banco de carpina – Banco de carpinteiro.

Buer – Beber.

Caçoilha – Prato típico do dia de matança do porco.

Café negro – Café sem leite, geralmente bebido à tigela.

Cagança – Mania.

Camisa de meia – Camisola interior.

Cascão das papas – Crosta queimada que se forma no fundo caldeirão das papas, muito apreciada pelas crianças.

Cascar – Bater, descompor

Catrapiscar o olho – Namorar.

Chover pedra – Chover granizo.

Coisa feia (dizer) – Palavrão

Dar em cara – Referir, com frequência, o que se ofereceu.

Dar pa trás – Devolver.

Deixar da mão – Deixar.

Descobrir-se – Tirar o boné ou o chapéu ao entrar numa igreja.

Desinçar – Arrancar ervas daninhas de entre as plantações.

Diabo te coma – Expressão usada para indicar o desprezo que se tem por outra pessoa

Dobra a língua – Fala com respeito.

Dola – Dólar

Empandeirar – Destruir. Avariar.

Encostar o cais à lancha – Dizia-se, em sentido depreciativo, de quem tinha dificuldade em atracar.

Engiva – Gengiva

Espinhas – Borbulhas de acne.

Estar em bezerro – Estar nu.

Estar farto até aos olhos – Estar muito aborrecido.

Estr à mão de semear

Falar político – Falar com palavras que o povo não entende.

Fecha a loiça – Cala-te

Gabar o gosto – Concordar.

Grandeza – Muito.

Haja saúde – Ora viva. Cumprimento.

Imbigue – Umbigo

In coire – Completamente nu.

Ir à baila – Ser muito falado.

Lançado – Vomitado.

Lançar fora – Abandonar. Deitar fora

Laredo – Rochedos no fundo do mar, junto à costa. Baixio.

Largar da mão – Deixar. Abandonar.

Lentilhas – Espécie de sardas que nascem na pele.

Mais a gente – Connosco,

Mais eu – Conmigo

Mamadeira – Chupeta.1

Maré vazia – Baixa-mar.

Massame – Argamassa para a construção.

Massames – Grande quantidade.

Mausura – Maldade. Qualidade de quem é mau.

Mechim – Qualquer tipo de máquina.

Meio dia rachado ou está rachando meio dia – Meio dia em ponto.

Moderno – Moderado. Bom. Ex “Trovão no inverno, tempo moderno”.

Panino – Paninho.

Pás trás – Ordem dada aos bois a fim de virarem no fim do rego.

Patinhar – Sujar com os pés.

Picadas – Três pancadas dadas no sino um quarto de hora antes da missa.

Poia – Bosta de vaca. Cagalhão.

Pouca vergonha – Ação indecorosa, indecente.

Quaise – Quase.

Rede – Palanque para transporte de doentes.

Retoiçar – Saltar exageradamente.

Sagão – Escada de madeira, interior que liga dois pisos de uma casa ou o piso siperior e a porta de entrada.

Sorte macaca – Má sorte.

T’áste criando – Ainda és novo.

Ter a casa cheia – Dizia-se a alguém aa quem chegava um familiar vindo da América ou de outra ilha.

Tirapuxas - Discussões.

Tomar de ponta – Implicar.

Torrar favas – Andar muito devagar

Troiveste – Trouxeste.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 04:54

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XXIII)

Segunda-feira, 29.02.16

Acoá –Acolá.

Alminha de deus – Pessoa ingénua e simples.

Amassaria – Armário da cozinha sobre o qual se amassava e tendia o pão.

Arrecuar – Recuar.

Arrumado de vez – Estragado. Destruído. Também se designava quem se casava.

Ataca – Fio geralmente de couro que prendia os chifres dos bovinos quando encangados.

Barras da casa – Friso de cor, pintado ao redor das portadas e esquinas das casas.

Beiçolas – Beiços grandes e salientes.

Cabeçada – Amarrar de uma vaca pelos cornos.

Cabidela – Cabimento.

Cacaruto – Cocuruto.

Cara abogangada – Cara de parvo.

Carregar de abóboras – Pedir em casamento e o pedido não ser aceite.

Cavalo (de serrar lenha) – Suporte assente sobre quatro paus, em forma de sela para serrar lenha.

Cepo da lenha – Grosso pau de madeira sobre o qual se pendia a lenha.

Consumido – Preocupado.

Copa d’água – Folha do inhame usada para transporte de água.

Dar pincel – Caiar a casa.

Dar um pulo – Assustar-se.

Derregar o cal – Deitar água na cal para derreter

Despachado – Estragado.

Dia de S. Nunca – Dia que nunca vai acontecer.

Diabos te levem pela rocha abaixo – Expressão usada para indicar o desprezo que se tem por outra pessoa.

Direito acima – Caminho a subir.

Eirado – Anel luminoso à volta da Lua. Cuidava-se que era sinal de chuva no dia seguinte.

Embicar – Teimar.

Empapado – Molhado, enlameado

Encetar – Dizia-se das galinhas quando começavam a dar sinais de quererem por ovos.

Enforcadeira – Gravata.

Escrepa – Pá de ferro para alisar a terra.

Esfatacar – Cortar violenta e desajeitadamente.

Esmigalhar – Partir e esfarelar o pão no leite para a ceia.

Esparramar – Espalhar. Encher até deitar por fora.

Falar descansado – Falar pausadamente.

Fedorento – Pessoa insignificante, com pouco valor.

Fuderentina – Mau cheiro.

Guerras de cabeça – Preocupações.

Impecilho – Pessoa que incomoda os outros. Pessoa que não é boa companhia.

Impola – Bolha.

Ir ao peixe – Pescar.                 

Lança – Instrumento com cabo e uma lâmina de ferro na ponta, usado para matar as baleias depois de arpoadas.

Largado – Abandonado.

Lavagem – Restos de comida a que se juntava farelo e água para alimentar o porco.

Leite cru – Leite antes de ser fervido.

Limber os beiços – Comer bem.

Mais velho do que a Salve-rainha – Muito velho.

Maleira – Mulher que ia buscar a saca do cokrrei às Lajes

Maneiro – Muito pequeno.                    

Mescra – Argamassa usada pelos pedreiros feita de cimento e areia.

Pancada de água – Grande aguaceiro.

Passar fome de rabo – Passar muita fome.

Peche – Defeito.

Poipar – Poupar.

Por-se na alheta – Fugir

Pulso aberto – Ter dores no pulso.

Ratinhar – Comer pouco por não gostar da comida.

Resalute – Saudável.

Rocio – Aragem vinda do mar, carregada de sal.

Rosar (a carne) – Passar levemente a carne por uma frigideira com banha, antes de a cozinhar.

Tamen – Também.

Tapa – Tampa.

Tarouco – Tonto

Ter a língua destravada – Falar de mais. Mexericar muito.

Ter a língua destravada – Falar demais ou que se não deve.

Tesoureiro – Sacristão.

Tolo como uma parede ou Tolo como uma batata – Muito tolo.

Transantonte – Dia anterior ao antes de ontem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 00:05

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XXII)

Quinta-feira, 04.02.16

Abertura – Hérnia.

Amarlicado – Doente. Pálido.

Aporrinhado – Fraco.

Arrelique – Pequeno biscoito doce, feito com as sobras do pão adubado, destinado às crianças.

Arremata-te – Porta-te bem.

Atilhos – Atacadores.

Augador – Regador

Bargas – Cuecas, ceroulas.

Bicha – Pénis.

Brabeza – Mau estado do mar.

Britsa – Brígida (nome próprio).

Bufar – Atirar jatos de água pela boca. (Brincadeira das crianças quando brincavam à (Caça à Baleia”)

Contar de cabeça – Contar sem operações aritméticas.

Consolado – Deliciado.

Cisco – Lixo resultante do varrer a casa.

Chave de boca de grilho – Chave inglesa.

Católica – Saúde (na frase – Como vai essa católica ou em contexto semelhante.)

Carrinho – Queixo.

Cara de cu à paisana – Pessoa feia e tola.

Cara abogangada – Cara de parvo.

Cão Feio – Diabo.

Cambulhão – Maçarocas de milho amarradas conjuntamente por um fio de casca.

C’mum ceste rote – Que não sabe guardar segredos.

C’mé dade – Como deve ser.

Dar de meias – Arrendar, sendo o pagamento da renda feito com metade do que o terreno produz.

Delgadinho – Magro

Desabalar – Fugir.

Desinçar – Arrancar ervas daninhas de ent as plantações.

Direito adiente – Caminho reto.

Emparreada (porta) – Difícil de abrir.

Empeçar – Bater num obstáculo e quase cair.

Encher o pandulho – Comer bem.

Enjorcado – Mal vestido.

Enredeadeira – Mulher intriguista.

Enrolar – Enganar.

Esbragalado – Mal vestido.

Escalar peixe – Abrir o peixe (geralmente vejas) e secá-las ao sol.

Escangalhar-se a rir – Rir muito.

Estufar o pão – Colocar o pão sobre o vapor de água, para que refresco. Esta operação, muito frequente quando o pão era velho e duro, era feita num caldeirão, tendo dentro a água e um suporte de madeira sobre o qual era colocado pão, a fim de que este não tocasse na água, mas apenas refrescasse com vapor.

Inimigo – Diabo

Jampo - Salto

Limber – Lamber.

Mais uma pá corda do sino – Mais uma asneira ou trapalhada

Mal avesado – Mal habituado.

Mala – Correio.

Malhão – Pedra, geralmente trazida do rolo, e que servia para delimitar as propriedades e terrenos divididos por partilhas, que substituía as paredes.

Moucha – Vaca sem cornos.

Oitono – Forrageiras em que se colocavam as vacas amarradas a uma estaca.

Olho na faca olho na lapa – Ter cuidado.

Pedir pra trás – Devolver.

Pexeiro – Cana grande com um anzol amarrado na ponta para tiar os polvos dos buracos.

Por alma da caixa velha – Muito (sobretudo pancada)

Pregar um pulo – Assustar-se

Ser c’ma mão de Deus – Mezinha eficiente para uma cura.

Sivela – Agulha de sapateiro.

Talho – Grande corte ou ferida.

Tendal – Armação de madeira dividia em vários quadrados onde se tendia o pão antes de o meter no forno.

Terramotada – Grande barulho.

Tintura vermelha – Mercurocromo.

Tomar pé – Parte do mar pouco funda.

Tosse de guincho – Tosse convulsa.

Traçalho – Pedaço de carne ou de pão

Trussas – Cuecas

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 00:05

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XXI)

Sexta-feira, 15.01.16

Abanar – Acenar. Cumprimentar com um aceno de mão.

Amachucar-se – Magoar-se.

Aporrinhamento – Falta de força.

Atalhar – Lavrar o terreno a segunda vez, com arado de madeira, antes de o lavrar para a sementeira.

Ave de rapina – Pessoa maldosa.

Aviar peixe – Retirar as escamas e as tripas ao peixe.

Bafão – Muito calor.

Baque – Emoção sofrida por se receber uma má notícia

Barbilho – Cordão de prender o chapéu ao pescoço.

Bichas – Lombrigas

Bifes de combrada – Carne de porco com couves.

Bispar pelo rabo do olho – Olhar de soslaio.

Correão – Pessoa que passa muito tempo fora de casa.

Cheio até aos olhos – Farto depois de comer.

Chave de boca de grilho – Chave inglesa.

Cagão da Visita – Criança medrosa

CagançaMania.

Café negro - Café sem leite, geralmente bebido à tigela.

Cobradura – Hérnia.

Cisqueira – Pá de juntar o lixo.

Dar caminho – Dizia-se das terras cujos donos eram obrigados a dar passagem ao de outras contíguas e que não tinham acesso direto.

Dar criação – Educar.

Dar de meias – Arrendar, sendo o pagamento da renda feito com metade do que o terreno produz.

De cu p’ra trás – De costas.

Debulho – Recheio de galinha assada.

Desaparecer do mapa – Morrer.

Dia de S. Nunca à tarde – Dia impossível de acontecer.

Direito abaixo - Descer

Ei – Forma de chamar alguém. Forma de incentivar os bovinos a andarem.

Embrulhão – Forma mais delicada de chamar intrujão.

Ementes – Enquanto.

Encarrilhado – Hirto. Firme.

Esganiçado – Aquele que fala muito alto.

Estoirar – Arrebentar. Estralejar dos foguetes ou da bomba

Estrabouchar – Contorcer-se com dores.

Falar de rijo – Falar alto.

Ficar para Deus me levar – Ficar desapontado.

Inchume - Inchaço

Jou – José (nome próprio).

Machona – Rapariga ou mulher com atitudes pouco femininas.

Maniada – Vaca com cio.

Mélroa – Fêmea do melro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 00:05

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XX)

Terça-feira, 15.12.15

Água de cheiro – Perfume de mulher.

Aguantar-s’impé – Estar de saúde.

Aguardente queimada – Xarope caseiro usado para a tosse e feito de aguardente e açúcar. Ao incendiá-lo o álcool ardia e o suco adocicado e meloso que ficava constituía o xarope.

Alma do outro mundo – Fantasma.

Alvacória – Albacóra.

Alvoradas – Cantares dos foliões do Espírito Santo, nas noites da terça, quinta e sábado da semana que antecede a festa.

Apoitar – Sentar-se comodamente e sem vontade de se levantar.

Arremedar – Troçar, imitar ou fazer pouco de alguém.

Arrepiado – Mau penteado. Com aspeto estranho.

Assim e assim – Mais ou menos

Assinar as ovelhas – Marcar nas orelhas das ovelhas o sinal de posse da cada família. Ex – Forcada e troncha com três moças, numa orelha e na outra – Troncha fendida.

Astrever-se – Atrever-se.

Atromentar – Atormentar.~

Bafo – Mau cheiro. Fedor.

Baleia – Mulher grande e gorda.

Batata - Mentira

Bliscão – Aperto dado com as unhas no corpo de outrem para o ferir.

Boa pra cortar manteiga – Faca ou navalha quando cortam mal.

Boieiro – Homem que acompanhava o gado na viagem para Lisboa, a bordo do Carvalho Araújo.

Bom bastante – Satisfatório.

Boqueira – Espécie de rede, em forma de semicírculo, colocada na boca das vacas, impedindo-as de comer, enquanto trabalhavam.

Bota ben sintide – Presta muita atenção.

Bota d’injarroba – Botas de borracha e de cano, usadas, sobretudo, nos terrenos alagadiços.

Brabeza – Estado de quem está muito zangado. Fúria.

Buída – Bebida.

Cotim – tipo de tecido usado nas calças de homem, semelhante à ganga (angtrim)

Cordada – Espaço de forrageiras dado ao gado quando amarrado à estaca.

Comer numa dentada – Comer à pressa.

Chove como Deus a dá – Chove muito.

Chocalhado (mar) – Mar um pouco revoltado.

Chiqueiro – Abrigo das galinhas ou do porco

Cana da índia – Bambu.

Dar bada – Dar trabalho. Dar que fazer.

Desgraçado – Maldito.

Fervura – Inquietação.

Festada (roupa)– Vincada de pois de passada a ferro.

Flaichelaite – Lanterna de bolso com pilhas.

Impige – Borbulha na pele.

Incardido – Sujo

Ir à máquina – Levar o leite a fim de ser desnatado.

Lampreiro – Esperto. Manhoso.

Madeirame – Madeira que suporta o teto da casa.

Madorna – Sono leve.

Mansidade – Estado do mar quando está muito calmo.

Maré cheia – Praia mar.

Nica ou nisca – Pouco.

O que não mata engorda – expressão utilizada para significar que quem é pobre pode comer de tudo.

Rebanhada – Grande número de filhos.

Ribanceira – Grande lance de terra, pedras e entulho caído da rocha e provocado pela chuva.

Saia plissada – Saia com dobras e folhos.

Salamaleque – Cortesia exagerada.

Servir – Caber (roupa).

Tabaco de cheirar – Rapé.

Tapona – Bofetada

Tirar uma rês – Vender uma rês a fim de ser embarcada para Lisboa.

Tocar as vacas – Conduzir as vacas.

Uiste – Zona leste dos Estados unidos.

Vazaneira – Diarreia.

Velho – Fantasma que atacava e levavas as crianças se elas não comessem ou se portassem mal.

Vir do Corvo na cestinha da velha – Nascer (para as crianças)

Zarpar – Sair, imediatamente, de um lugar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 00:05

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XIX)

Terça-feira, 10.11.15

Abaixar a crista – Acalmar-se. (Expressão usada pelos adultos quando as crianças os contrariavam ou se revoltavam).

Abrir – Lavrar um terreno pela primeira vez, com arado de ferro.

Advertir-se – Divertir-se.

Agrião d’água – Agrião que nasce nas lagoas, junto com a erva.

Água pela borda – Embarcação muito cheia. Pessoa mui carregada.

Aguilhada – Vara comprida e rija com que se incentivava os animais a andar quando encangados.

Alambuzar – Comer com as mãos e sujar-se.

Alheta – Persilha que prende o cinto das calças.

Amaricado – Efeminado.

Amerca de Baixo – Costa leste dos Estados Unidos.

Apastrar tintilhões – afastar os tentilhões das colheitas.

Aprumado – Com boa aparência. Educado.

Arco da Aliança ou Arco-da-Velha – Arco-Íris. (Na Fajã grande, outrora, dizia-se quando o Arco da Aliança aparecesse de pernas para o ar seria o fim do mundo.)

Arionó – Do inglês “Are you know?” (nome próprio).

Arriba – Para cima.

Arrochos – Dois pequenos pedaços de pau devidamente preparados e adequados para apertar o cabo que segurava uma carrada de lenha, fetos, incensos, melheirós, rama, erva, etc. Um deles era direito e pontiagudo numa das extremidades, a fim de ser espetado na carga, junto ao cabo. O outo, por sua vez, era um pouco mais curto e torto ou arqueado. Enrolado no cabo, ia girando à volta do primeiro, de maneira que o cabo se fosse enrolando e, consequentemente diminuindo de tamanho e apertando a carga. Ambos os arrochos eram furados numa das extremidades, no caso do direito na extremidade que não era pontiaguda, sendo presos uma ao outro com uma corda.

Atarrachar – Aparafusar.

Atracar – Encostar uma embarcação ao cais.

Azougue – Magnetismo.

Babo – Inchaço resultante a picada de um inseto ou outro.

Baganha – Parafuso de dar corda e acertar o relógio de pulso.

Balbúrdio – Grande quantidade (geralmente de dinheiro). Balúrdio.

Batelameiro – Bartolomeu (nome próprio)

Bicha cadela – Bicha que se enrosca de cor negra.

Boca-aberta – Pessoa muito demorada em realizar uma tarefa.

Boi da junta – Homem que exagera no seu comportamento sexual.

Boquinha da noite – Anoitecer.

Brocha – Trincha.

Bunzinho – Com noa saúde.

Cara de cu – Pessoa feia. Pessoa má.

Deixar da mão pra fora – Terminar.

Foles – Parte superior das calças, larga e desajeitada.

Lajone – Nome próprio.

Nó boline – tipo de nó muito seguro.

Olho da batata – Rebento das batatas.

Papujão – Indivíduo que fala mal.

Passar fome de rabo – Passar muita fome.

Pegado no sono – Adormecer facilmente.

Pegar na fala – Gaguejar.

Pessoa de remate – Pessoa de confiança.

Pisadela – Pequena lesão sem ferida.

Pulso desmanchado – Entorse no pulso.

Quando o Chico vier da areia. – Nunca.

Quebradura – Hérnia.

Recebedoria – Tesouraria da Fazenda Pública

Relampo – Relâmpago.

Retalhar – Cortar as batatas para a semente, deixando um rebento em cada uma

Sante nome de Jasus – Admiração, espanto.

Sarnalha – Tipo de erva.

Solvo – Sorvo.

Talhada – Posta de carne ou de toucinho

Tralhouco – Tonto.

Ter vagar – Ter tempo.

Toleira ou toliça  – Tolice.

Tomar Nosso Senhor – Comungar.

Troca – Soro do leite depois de desnatado.

Uma vez na vida outra na morte – De vez em quando.

Valada – Pequena grota entre os tapumes de hortênsias que separavam as relvas do

Ver estrelas ao meio dia – Ficar atordoado. 

Vieiro – Carne entremeada no toucinho do porco.

Zé-da-Véstia – Homem desajeitado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 00:05

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XVII)

Sábado, 11.10.14

Abantesma – Pessoa desajeitada e bruta.

À boca do forno – Em frente `porta do forno quando este está aceso.. As mulheres ficavam muito quentes quando estavam à boca do forno,

Acabado – Envelhecido, doente.

Achado – Objeto encontrado no mar: garrafa, fardo de borracha, boias, bolas de vidro, etc.

Babosão – Pessoa que diz asneiras.

Bijagodes – Simplório. Pessoa sem importância.

Bordejar – Passear de barco junto à costa.

Calafate – Forma de amarrar o lenço com as pontas atadas atrás da cabeça, a fim de não deixar cair cabelos quando se amassava o pão ou o bolo.

Cambrela – Queda., trambolhão.

Caneca da merda – Recipiente de madeira guardado na retrete e destinado a receber as fezes humanas.

Canela fina – Canela em pó, moída.

Desinçar – Arrancar ervas daninhas de entre as plantações

Dia Forrado – Dia coberto de denso nevoeiro.

Esprim – Mola.

Estrambólico – Fora do normal, extravagante.

Fisgote – Ferro pontiagudo para apanhar polvos.

Focho – Pequeno pedaço do ramo de uma árvore. Pequeno pau..

Fuderente – Depreciativo de criança. Pessoa fraca e com pouco valor.

Gadelha – Cabelo comprido.

Ganhoa – Gaivota.

Gueste – Grande festa.

Injarroba (botas de) – Borracha (Botas de borracha).

Mal amanhado – Desajeitado. Mal feito.

Mamulão – Grande inchaço.

Marquinhas – Diminutivo de Maria, atribuído a mulheres de mais idade.

Marrã – Porca.

Marvalha – Cisco de madeira que entra nos olhos. Ripa de madeira.

Matéria – Pus amarelado das feridas

Mecha – Fósforo.

Meio dia rachado ou está rachando meio dia – Meio dia em ponto.

Ovelhas (do mar) – Espuma branca das ondas do mar quando este está crispado, (Na Fajã Grande, junto ao mar, havia um local chamado Rolinho das Ovelhas.

Paspanão – Grande parvo.

Raite – Passeio.

Rezingar – Chorar sem razão, barafustar sob a forma de choro.

Sirigaita – Rapariga pequena e desavergonhada.

Ter bico doce – Ser muito guloso.

Testos – Pratos de metal sonante que os foliões usam para acompanhar o tambor.

Toitiço – Cabeça.

Trouxa – Pessoa desajeitada.

Uma Niquinha - Muito pouco.

Uma pisquinha – Pouco, quase nada

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 09:13

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XVI)

Sábado, 19.07.14

Andar a apanhar bonés – Não fazer nada.

Apastorear tentilhões – Espantar os tentilhões para não comerem as sementes do trevo

Apoitado – Fundeado (barco).

Caculo – Pequeno monte de terra. Parte alta da cabeça..

C’má folha do álamo – Vira casacas, pessoa inconstante.

C’ma quê?  – Como?

Chaboco – Pessoa desajeitada .

Curtume – Vegetais conservados em frascos com vinagre.

Curral – Terreno muito pequeno.

Descaldear – Por as coisas em ordem. Esclarecer,

Dia descoberto – Dia com céu sem nuvens e com sol.

Estar de faxina – Não trabalhar e estar, simplesmente, a ver os outros trabalharem.

Estar despachado – Estar estragado. Estar sem esperança de cura.

Fácele – Fácil.

Facho – Archote artesanal, feito com uma lata amarrada a um pau para apanhar caranguejos. A lata era cheia com petróleo e um pavio. Também se chamava facho aos raios de luz que emanavam do farol do Albarnaze que se viam por de trás da rocha da\Ponta.

Faia-do-Norte – Plata cujo nome científico parece ser Pittosporum Tobira, com que se faziam bardos nas terras para as proteger dos ventos e da salmoura.

Guindastre – Guindaste.

Incha – Medida correspondente a uma polegada.

Íngua – Inchaço na pele.

Levada – Corrente de água para mover um moinho.

Lintilhas – Sardas no rosto.

Mar espelhado – Mar manso e liso.

Mudar o gado – dar nova cordada ao gado quando amarrado à estaca, nas forrageiras,

Música – Filarmónica. Banda musical.

Música de cana – Instrumentos feitos de canas pelas crianças, a imitar as filarmónicas  

Navio sem alastro – Pessoa desajeitada.

Perregilde – Planta que nasce no baixio e usada nos frascos de curtume.

Põe-te na alheta – Desaparece.

Por no rol – Comprar sem pagar, sendo a compre registada pelo comerciante.

Rabanada de vento – Grande rajada de vento.

Rabujar – Barafustar, protestar em voz baixa.

Rabujento – Que barafusta muito.

Salseirar – Transbordar pela borda de um recipiente água ou outro líquido,

Soevo – Peça de ferro ou metal, colocadas a meio das correntes que prendiam os animais, constituída dor duas argolas, presas uma à outra de a rolarem e impedirem que a corrente se enrole.

Talisca – Pequena tira de madeira.

Vaca dando – Vaca que não teve cria e fica a dar leite, embora pouco, durante mais um ano.

Vagar – Ter muito tempo.

Vai c’ma canela fina – Come-se ou faz-se algo num instante.

Vara d’imparar – Vara comprida, geralmente, com um gancho na ponta, para aproximar ou afastar os barcos do cais.

Zape – De repente. Num instante.

Zarpar – Sair, imediatamente, de um sitio.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 18:32

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XV)

Segunda-feira, 14.04.14

Ablorado – Dizia-se do pão quando ficava com bolor e com um sabor azedo.

Acomodar – Dar hospedagem. Receber alguém em casa.

Apoquentação - Inquietação.

Arrenegar - Rejeitar

Assim c’ma sim – Mais ou menos, de qualquer modo.

Atazanar – Incomodar, provocar.

Banqueta – Bancada de pedra em frente de um prédio.

Candins – Doces que traziam as encomendas vindas da América

Carro de praça – Taxi.

Cascão das papas – Crosta queimada que se formava no fundo do caldeirão quando se faziam as papas. Era muito apreciado, sobretudo pelas crianças.

Chata – Pequena embarcação, feita de tábuas, destinada a levar os marinheiros para os gasolinas da baleia, apoitadas, longe de terra.

Coarar a roipa – Colocar a roupa ao Sol, sobre um tapete de relva (estendoiro) para a branquear.

Discreteza – Inteligência.

Estar à cabeceira – Velar alguém na morte.

Estarraçador – Pessoa descuidado que desfaz ou estraga tudo.

Estendoiro – Pequeno recinto, geralmente relvado, onde se colocava a oura a “coarar”

Esticar o pernil – Morrer.

Feito-cavalo – Tipo de feto menos comum, com folha mais comprida e sem utilidade.

Feito-manso – Feto normal, comum na freguesia, usado para cama do gado.

Fender lenha – Rachar, cortar a lenha em pequenos pedaços.

Incomenda – Saca com roupa, vinda da América.

Jimpar –Saltar.

Laje – Pedra grande e lisa na parte superior, semelhante a uma mesa.

Laparoso – Mau. Atrevido.

Lepra – Má pessoa. Mau. Atrevido.

Mandalete – Recado.

Manganão – Mariola, atrevido

Milho de vassoura – Tipo de milho miúdo, cuja espiga era utilizada para o fabrico de vassouras. Geralmente era semeado nos cantos dos terrenos agrícolas.

Mosca-tonta – Pessoa sonsa, incapaz.

Oraçais – A planta ou o fruto do araçaleiro.

Pão estufado – Pão colocado num caldeirão, sobre água a ferver, quando velho e bolorento.

Papas grossas – Papas feitas com a farinha do milho moído em verde, em moinhos manuais.

Pequerrucho – Pequeno, criança.

Pinhos – Molas de prender a roupa na corda.

Pisar – Magoar.

Poção –Poço grande.

Poço do esterco – Pequeno recinto, fora dos palheiros, onde se armazenava o esterco do gado

Poderes – Muito ou Muitos, Grande quantidade.

Quedo – Quieto.

Ralar – Preocupar.

Ror d’anos – Muitos anos.

Saroulhas – Ceroulas.

Se cagar todo – Ficar cheio de medo ou muito assustado.

Slipas - Chinelos

Sobrade – Chão de madeira, de uma sala ou quarto.

Sorna – Preguiçoso

Ter o ovo atravessado – Dizia-se das crianças quando estavam irrequietas.

Tesoireiro - Sacristão

Texto – Panela.

Trunfa – Cabelo caído sobre a testa.

Vardade – Verdade.

Vardasca – Pau ou vara para bater.

Velha do Corvo – Personagem mítica, apresentada às crianças e que trazia os bebés quando nasciam.

Velho Laranjinho – Personagem mítica que morria todos os anos e cujo funeral se realizava no dia de finados – 2 de Novembro

Ventas – Cara, rosto.

Vêsio – Vê-lo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 08:17

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XIV)

Terça-feira, 11.02.14

Aicecrime – Gelado.

Andando e cagando – Desinteressar-se de algo ou duma conversa.

Andor – Afasta-te. Desaparece.

Antesdonte – Anteontem.

Apegado – Avarento, aquele que gosta muito de dinheiro.

Apertado – Com muita vontade de obrar.

Ápesteres – Par de cima da casa.

Arrematado – Prendado, com educação.

Atiradeira – Corda comprida com que se apertavam os fueiros do carro ou corsão, a meio da carga.

Bem perfeitinho  - Criança muito bonita e saudável.

Boiceiro – Cadeira mítica, com pontas de fregos no assento, escondida atrás do altar, destinada a castigar as crianças que se portavam mal.

Bucha naife – Grande faca.

Caganita – Coisa pequena. Pessoa fraca,

Cara abogangada – Cara arredondada, malfeita e feia.

Carnegão – Parte dura e esbranquiçada com restos de sague que se tira das feridas secas.

Carnina – Diminutivo de carne

Chapéu de feiticeira – Cogumelo.

Derreado- Que tem dores nas costas (geralmente resultantes de muito trabalho)

Encarrilhar ui dentes – Apertar dos dentes uns contras os outros com força, em sinal de muita zanga ou fúria.

Espadana – Plata com folhas em forma de espadas, que desfiadas faziam fios e cordões.

Espiga – Parte superior do caule do milho, entre a maçaroca e a flor.

Está rachando meio-dia. – São precisamente doze horas ou meio-dia.

Estar farto e cheio – Estar completamente aborrecido, não ser capaz de suportar mais ignomínias.

Facão – Instrumento de ferro, semelhante a uma chave de fendas para a apanha das lapas.

Faeira – Faia.

Farrispa – Lasca ou farripa de madeira.

Fazer uma terra – Trabalhar uma propriedade de outrem, pagando com produtos da mesma.

Froiva – Inflamação dos dedos dos pés.

Ir graduar a vista – Consultar otftalmologista.

José ou Zé da Góstia – O mesmo que José ou Zé da Véstia, mas menos ofensivo.

José ou Zé da Véstia – Personagem fálica, com que se pretende despreciar a conversa com alguém

Lustro – Pomada para os sapatos.

Maçaroca – Espiga do milho.

Mandar para trás – Devover.

Manga-d’água – Tromba-d’água.

Matar um piolho em cima da barriga – Ter comido muito.

Milheiro – Parte inferior do caule do milho, entre o pé e a maçaroca,

Mexim – Máquinas de cortar o cabelo.

Não haver bafuja de vento – Não haver nenhum vento.

Num zape – Num instante.

Pachocadeira – Mulher que provoca muitos mexericos ou confusões.

Pachola Vaidoso. Bem apresentado.

Pandulho – Grande barriga.

Pão-adubado – Massa Sovada, pão doce.

Presente – Cagadela.

Raite – Viagem.

Santola – Pessoa inocente e sem maldade.

Ter bico doce – Ser muito guloso.

Triola mal-amanhado – Pessoa desajeitada.

Vento de cima da terra – Vento de leste que soprava do lado do mato.

Xelepas – Chinelos.

Zarabana – Uma grande admoestação feita a alguém por ter cometido um acto pouco correcto ou ilícito.

Zimbro – Zimbreiro

Zinaibre – Verdete de que os metais se revestiam.

Zoar – Correr uma notícia falsa ou um mexerico

Zuniar –Dizia-se do vento quando soprava com muita força e como que assobiava.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 18:18

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XIII)

Sábado, 25.01.14

Ajuntar – Casar.

Alantado ou alantadinho – Forte, robusto, gordo.

Alevantado – Doido, estouvado, leviano.

Antes isso do que um soco num olho – Expressão de desdém ou menosprezo.

Aparelhar o caniço – Preparar o caniço para a pesca.

Aparelhar a madeira – Aplainar.

À porta de casa – Junto de casa. Perto.

Aprofiar – Insistir

Aquecer a pélia – Bater fortemente.

Aquilhe – Aquilo.

Arcada – Brinco de mulher. Argola de arame presa ao focinho do porco, para o impedir de fossar.

Arengar – Pronunciar mal as palavras.

Arrebentado da cachola – Doido, tolo

Arreda que vai d’aposta – Afasta-te imediatamente.

Arreda vaz, satanás – Expressão para afastar o mal.

Arrefiadela – Piscar de olho.

Arreganhado – Rir em demasia, rir com os dentes à mostra.

Atafulhar – Encher muito, encher até às bordas.

Atinado – Que faz as coisas bem feitas.

Bem perfeitinho  - Criança muito bonita e saudável.

Bodeca – Algo pequeno e com pouca importância.

Bonzissimo – Óptimo.

Cabeça fina – Criança ou pessoa inteligente.

Enjorcado – Mal vestido, mal feito, com mau aspecto.

Espiquiado – Saliente.

Fazer escarne – Fazer pouco de outro, rir-se ou gozar alguém.

Galo – O mesmo que mamulo. Inchaço resultante de um pancada na testa ou cabeça.

Galocha – Peça de madeira, em forma de barco, com buraco a meio de abrir e fechar que se colocava numa das mãos dos bovinos para os impedir de saltar as paredes das relvas.

Inteiriçado – Esticado, hirto, duro.

Iscariotas – Aquele que faz pouco dos outros.

Lalabete – Pouco.

Lambarear – Acender e apagar-se do lume ou da luz de um candeeiro a petróleo, com o vento.

Língua destravada – Falador.

Mamulo – Inchaço, maleita resultante de uma pancada na testa ou cabeça

Mausíssimo – Péssimo.

Mentes com quantos dentes tens na boca – Mentes muito. Grande mentiroso.

Metes nojo – Estás muito sujo.

Mexe as aivecas – Incentivo a um companheiro de jornada para andar mais depressa.

Ministra – Mesa da cabeceira

Ó home, sim ou ó home, não – Estou ou não estou de acordo.

Ossos desmanchados – Luxação Ossos partidos.

Parrogilde – Planta apanhada junto ao mar. Perrexil.

Peche – Defeito.

Perfeita de mãos – Mulher que sabe fazer renda, bordar ou costurar com perfeição.

Pica-porte – Fechadura manual de uma porta.

Reboitalho – Resto de folhas e caules depois de escolher as sementes.

Safa daqui pra fora – Vai-te embora, imediatamente.

Safate – Açafate.

Troiceste – Troceste.

Truce - Trouxe

Vaca dando – Vaca que não conseguiu engravidar e que continua a dar leite todo o ano.

Velhas às escondidas – Jogo de crianças em que formando dois grupos, cada um, por sua vez, tentava descobrir onde o outro estava escondido.

Verga – Grosso e comprido arame preso no cimo e na parte baixa da rocha de forma oblíqua por onde eram atirados os molhos de lenha, erva, fetos, etc.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 13:56

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XII)

Sábado, 25.01.14

Abrir o fastio – Ter apetite ou vontade de comer.

A caminho – Logo, naquela direcção.

Advertido – Divertido.

Aferrar – Apanhar o peixe pelo anzol.

Aferroada – Picada de abelha.

Afogar-se – Engasgar-se.

Alfanica – Vaca ou pessoa folgazona.

Alminha de deus – Pessoa ingénua e simples.

Alpantesma – Pessoa desajeitada.

A mode c’ma tole – Tolo, atoleimado.

Adanar – Nadar.

Apensionado – Com defeito.

Aqui atrasado – Há algum tempo.

Arrebantado – Falido, destruído, mal, doente.

Arregoado – Dizia-se do pão quando ficava aberto, mal cozido.

Atira-te da rocha a baixo – Foge, desaparece de junto de mim.

Avantage – Façanha. Acto heróico.

Avariado da cabeça – Maluco. Doido.

Balaio – Espécie de cesto muito grande onde se guardavam os cereais.

Boa bisca – Pessoa má, mal intencionada e de maus hábitos. Pessoa cuja companhia se devia evitar.

Buzil – Remoinho de água do mar, provocado por forte ventania

Caganeira – Diarreia.

Calçar milho ou Correr milho – Puxar, com o sacho, a terra para junto do pé de milho para o fortalecer.

Carnegão – Parte branca, no interior da batata doce e que era sinal da sua excelente qualidade.

Danasteres – Andar de baixo

Dar em cara – Referir, com frequência, o que se ofereceu.

Está consolando – Está muito bom.

Feio – Enorme, grande.

Inchade c’mum pão de milho – Muito inchado.

Inferno do moinho – Parte inferior do moinho, onde existem as rodas dentadas que fazem girar a mó.

Lanzeira – Sorna, Preguiça, lentidão no trabalho.

Mantinho – Véu com que as mulheres cobriam a cabeça para ir à missa ou entrar na igreja.

Muja – Tainha muito pequeno que vive em poças.

Raitear – Passear

Ranzelar – Resmungar, barafustar.

Rasoira – Caixa de medir os cereais.

Ser c’má folha do álamo – Ser inconstante.

Sortes – Inspecções militares.

Tá bunzinhe c’ma parece – Forma de cumprimentar.

Tailhe – Zona de forrageira até onde os animais bovinos, amarrados à estaca, comeram.

Tarrafa – Rede de pesca.

Tempo manso – Tempo bom.

Tempo manso ou o tempo amansou – Tempo bom. O tempo melhorou.

Ter a língua destravada – Falar demais ou que se não deve.

Ter bicho-carpinteiro – Dizia-se das crianças irrequietas.

Ter fervuras – Estar inquieto, preocupado.

Terras de relva – Pastagens.

Xabouco ou xaboco – Desajeitado. Que não sabe fazer algo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 13:50

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (XI)

Sexta-feira, 24.01.14

Abelhudo – Teimoso.

Ablorado – Que tem bolor, bolorento. Dizia-se do pão quando já estava velho, devendo ser estufado.

Abobra-menina – Abóbora acastanhada por fora, redonda e achatada.

Acalcado – Muito cheio.

Adanar – Nadar.

Afelegir – Afligir, preocupar.

Aferradela – Dentada de animal (gato ou cão).

Agarrado ao dinheiro – Avarento, forreta.

Agora cá – Não, de maneira nenhuma.

Aguentar-se nas canetas – Estar em pé.

Aivecas – Braços.

Alfeiro – Gado que não dá leite.

Aliviar o luto – Começar a usar roupas de cores.

Alma-do-diabo – Mau, maldito.

Alumiar – Iluminar.

Amigos c’ma porcos – Muito amigos.

Amouchado – Abatido, abaixado.

Arcada – Pedaço de arame retorcido preso no focinho dos porcos para que não fossem.

Asseado – Muito bom. Perfeito.

Abafado ou atabafado – Tempo húmido e quente.

Atarrachar – Aparafusar.

Atilho – Atacadores dos sapatos. Cordão ou fio grosso.

Atiradeira – Corda com que se prende o gado ao lavrar para os conduzir no rego.

Ave d’agoiro ou ave agoirenta – Pessoa que habitualmente dá más notícias.

Barriga de bichas – Barrigudo, que tem barriga grande.

Dar água pela borda – Estar aflito. Ter uma tarefa difícil de realizar.

Dar o fanico – Desfalecer, desmaiar.

Dar tafulho – Conseguir dar arranjo ou conserto a algo. Arranjar. Consertar.

Engatar – Conseguir, arranjar.

Engatar uma monça – Arranjar uma namorada.

Espertalhote – Coelho.

Estar acabado – Envelhecer.

Estar a estudar a tabuada – Dizia-se das vacas que estavam num campo ou relva e tinham pouco ou nada que comer.

Falar devagar – Falar em voz baixa.

Forrada de luto – Diz-se de mulher que veste totalmente de preto.

Fotaventage – O que fizeste não tem grande mérito.

Home e antão – O que aconteceu.

Lambuzar – Comer de maneira desajeitada e suja.

Mal ságuentar im pé – Estar fraco.

Máquina – Desnatadeira ou o local ou casa onde existia a desnatadeira.

Matar o desconsolo – Consolar-se em comer algo que já não se prova há muito tempo..

Moenda – Saco de farinha cheio de milho ou farinha. (Geralmente eram utilizadas as sacas das encomendas vindas da América).

Moirão – Peça de ferro enfiada no meio da eira, à volta da qual rodava o trilho.

Parece que tens azougue no corpo – Nunca estás quieto ou parado.

Parece que tens bicho-carpinteiro – Não estás quieto um instante.

Peixão – Mulher bonita e atraente.

Seja p’la tua saúde – Forma de agradecimento. Obrigado.

Seja p’l’alma dos teus - Forma de agradecimento. Obrigado.

Semenino – Fraquinho, magrinho.

Tainque – Tanque, local onde as vacas bebiam água.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 09:31

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (X)

Quarta-feira, 22.01.14

Á – Ó, interjeição para chamar alguém.

Abalado – Comovido, chocado.

Achado – Objecto encontrado no mar.

Diabo-que-te-carregue – Expressão usada para indicar o desprezo que se tem por outra pessoa.– Expressão usada para indicar o desprezo que se tem por outra pessoa.

É Canja – É fácil.

Encher o pandulho – Comer em demasia.

Ensarilhada – Grande dificuldade.

Enxógalhar – Agitar, mexer,

Esbagoar        - Passar as contas do terço ou dizer muitas orações. Possivelmente por assimilação com o verdadeiro significado - tirar os bagos a.

Escarrapachar – Sentar com uma perna para cada lado

Esganado – Inquieto, com vontade de fazer algo, especialmente comer.

Estar descadeirado – Ter dores nas costas ou nos rins.

Estar somenos ou estar mum somenos – Estar muito mal.

Esterloucado – Mal da cabeça.

Fagulhas – Faúlhas

Fazer diligência – Esforçar-se.

Ficar com as calças na mão – Ser apanhado desprevenido.

Fonte – Fontanário.

Forreta – Avarento, agarrado

Forro – Sótão

Grotão            - Grandes vales que existem nos matos.

Home - Homem.

Incardido – Sujo

Increnca – Situação muito má.

Ingives – Gengivas

Inxugar – Secar.

Lambão - Pessoa que come muito.

Lambareiro – Que gosta muito de doces

Lonjura – Grande distância

Manápula – Mão.

Mancheia - Pequeno monte de qualquer produto ceifado mais ou menos da espessura de uma mão e que o ceifeiro vai colocando atrás de si e que depois é amarrado para mais facilmente ser transportado..

Marmelo - Diz-se de algo grande ou descomunal, incluindo pessoas.

Mosca-morta – Pessoa sonsa.

Mum perfeitinho – Criança bonita e saudável.

Não são contas do teu rosário – Não te diz respeito

Não vais lá das canetas – Não consegues.

Papa-sorda –  Pessoa sem desembaraço

Pimpolho - Criança

Pinguinha - Uma pequena quantidade de qualquer coisa.

Ponteiras – Argolas de metal, com rosca interior, que se aparafusavam nas pontas dos cornos dos bovinos.

Puxar pelo focinho – Desafiar, espicaçar alguém.

.Sarão – Serão

Tender – Dar forma ao pão

Tuta e meia – Barato.

Vardascar – Bater com uma vara.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 14:10

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (IX)

Sábado, 18.01.14

Acamado – Doente.

Acartar – Acarretar.

Açucre – Açúcar.

Alanterna – Lanterna.

Aleive – Acusação maligna, calúnia.

Amigar-se – Amancebar-se.

Amojar – Dizia-se das vacas quando davam sinal de já começarem a  ter leite no úbere, sinal de que em breve teriam cria.

Amuado – Zangado.

Andar a torrar favas – Não fazer nada, andar ao desvario.

Antiontem – Um dia antes de ontem.

Às avessas – Ao contrário.

Assanhado – Zangado.

Atão – Então.

Azeite-doce - Azeite normal, de oliveira que na ilha era usado quase somente como medicamento.

Bácoro – Porco novo.

Badalhoca – Mulher desarrumada, pouco limpa, porca.

Badameco - Pessoa a quem não se deve dar importância. Possivelmente de origem americana.

Bambalear – Andar a baixo e a acima, tremelicar.

Banda – Lugar, lado.

Baraço – Atilho feito de espadana para atar os molhos do pasto ou a lenha.

Barriga de bichas – Avarento, pessoa má para os outros.

Belzabu – Diabo.

Belga   - Qualquer faixa de terreno agrícola, comprida e estreita e geralmente sobranceira a outra.

Bexigas – Varíola.

Bichas – Lombrigas.

Bocadinho – Pequena quantidade, pouco.

Bolacha no rabo – Palmada no rabo.

Buxa – Pequena refeição, sande.

Cabo – Fim.

Cachaço – Pescoço.

Caçoar – Fazer pouco, gozar.

Caganita - Pessoa muito fraca, que não pode com quase nada. É usado no sentido depreciativo.

Canalha – Crianças.

Canteiro - Espaço destinado a criar a planta da batata-doce. Era sempre feito junto das casas, tinha a for quadrangular e era protegido por um bardo. Cavado em grande profundidade era colocado bastante estrume e sobre estes, as batatas cobertas de terra. A rama nascida era cortada e plantada nos campos para dar a batata-doce, fundamental na alimentação e na engorda dos porcos.

Cão da Meia-noite – Um dos nomes porque era conhecido o diabo.

Catrapiscar o olho – Namorar.

Danado – Mau, zangado. Desejoso, inquieto.

Dantes – Noutro tempo.

Dar ao badalo ou dar à trela – Falar muito e sem jeito.

Dar oividos – Ouvir mexericos, ouvir o que outros dizem.

Destrocar – Trocar.

Destróia - Pessoa, geralmente criança, que não se porta lá muito bem. Possivelmente tem a sua origem no verbo destruir.

Sarna – Pessoa teimosa, aborrecida e impertinente.

Sova – Tareia, pancadaria.

Tabefe – Estalada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 17:26

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (VIII)

Segunda-feira, 13.01.14

Acartar – Acarretar.

Aleive – Acusação maligna, calúnia.

Amigar-se – Amancebar-se.

Andar a torrar favas – Não fazer nada, andar ao desvario.

Azeite-doce - Azeite normal, de oliveira que na ilha era usado quase somente como medicamento.

Banbalear – Andar abaixo e a acima, tremelicar.

Badameco - Pessoa a quem não se deve dar importância. Possivelmente de origem americana.

Belga   - Qualquer faixa de terreno agrícola, comprida e estreita e geralmente sobranceira a outra.

Bocadinho – Pequena quantidade, pouco

Bolacha no rabo – Palmada no rabo.

Caçoar – Fazer pouco, gozar.

Caganita - Pessoa muito fraca, que não pode com quase nada. É usado no sentido depreciativo.

Canteiro - Espaço destinado a criar a planta da batata-doce. Era sempre feito junto das casas, tinha forma quadrangular e era protegido por um bardo de milho. Cavado em grande profundidade era-lhe colocado bastante estrume e sobre este, uma camada de terra e as batatas, também cobertas co, terra. A rama nascida era cortada e plantada nos campos para dar a batata-doce, fundamental na alimentação dos humanos e na engorda dos porcos.

Catrapiscar o olho – Namorar.

Cão da Meia-noite – Um dos nomes porque era conhecido o diabo.

Dar oividos – Ouvir mexericos, ouvir o que outros dizem.

Destrocar – Trocar

Destróia - Pessoa, geralmente criança, que não se porta lá muito bem. Possivelmente tem a sua origem no verbo destruir.

Diabo-que-te-carregue – Expressão usada para indicar o desprezo que se tem por outra pessoa.– Expressão usada para indicar o desprezo que se tem por outra pessoa..

Encher o pandulho – Comer em demasia.

Esbagoar - Passar as contas do terço ou dizer muitas orações. Possivelmente por assimilação com o verdadeiro significado - tirar os bagos a.

Estar somenos ou estar mum somenos – Estar muito mal..

Enxógalhar – Agitar, mexer,

Ficar com as calças na mão – Ser apanhado desprevenido.

Fonte – Fontanário.

Grotão            - Grandes vales que existem nos matos..

Home - Homem

Lambão - Pessoa que come muito.

Mancheia - Pequeno monte de qualquer produto ceifado mais ou menos da espessura de uma mão e que o ceifeiro vai colocando atrás de si e que depois é amarrado para mais facilmente ser transportado.

Marmelo - Diz-se de algo grande ou descomunal, incluindo pessoas..

Mum perfeitinho – Criança bonita e saudável.

Não vais lá das canetas – Não consegues..

Pimpolho - Criança

Pinguinha - Uma pequena quantidade de qualquer coisa.

Ponteiras – Argolas de metal, com rosca interior, que se aparafusavam nas pontas dos cornos dos bovinos.

Para quieto – Acalma-te. Sossega um pouco.

Puxar pelo focinho – Desafiar, espicaçar alguém.

Puxar pela cabeça – Lembrar-se, esforçar-se por recordar algo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 16:01

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (VII)

Quinta-feira, 09.01.14

Aqui se transcrevem mais algumas palavras, ditos ou expressões utilizadas na Fajã na década de cinquenta, sendo a maioria citada apenas de memória.

 

Abrigada – Lugar, geralmente junto a uma parede alta, onde se evitava a chuva, o vento ou o mau tempo.

Acaçapar-se – Baixar-se para se esconder melhor ou para que mais alguém caiba num determinado sítio.

Afoguear – Fazer lume sobre todo o lar com as linguiças por cima, enroladas num pau para as secar.

Ancinho – Utensílio em igual ao sacho, mas com dentes como um garfo, destinado a semear o trevo ou a erva da casta, depois de espalhados no terreno, entre o milho.

Arrear a pôia – Evacuar, defecar.

Atoleimado – Tolo.

Bensinado – Educado, correcto.

Cabeças – Mordomos ou homens responsáveis pela festa do Espírito Santo e do Fio.

Cerrado – Grande terreno agrícola.

Cramulhano – Pessoa tola e mal intencionada. Vaca velha.

Dar as couves – Dizia-se de um animal fraco e cansado que já não conseguia trabalhar mais.

Desarrematado – Pessoa incompetente, sem habilidade ou sem capacidade de fazer algo

Eira-má – Um dos vários nomes do Diabo.

Engorladeiras – Pequenas peças de lata, em forma de funil com que se enchiam as linguiças.

Fandaine – Divertimento, brincadeira.

Fazer que não – Negar, desconhecer.

Ficar a ver navios – Ficar sem algo que se desejava ter, por culpa própria ou descuido.

Galantinho – Pessoa bonita, bem constituída

Gorits à pírola – Expressão utilizada para dizer que nada mais a fazer, que algo desapareceu e é impossível voltar a encontrar.

Graxa – Banha de porco.

Mangão – Prato típico feito à base de batata esmagada, cebola e banha de porco.

Mapa – Esfregão.

Mum perfeitinho – Criança bonita e saudável.

Nabistoire - Nome ou apelido atribuído aos habitantes do Corvo.

Naião – Maricas.

Nelgada – Palmada no rabo.

Ora cheta – Aborrecimento.

Papão Feio – Personagem mítica para assustar as crianças.

Papeles -  Papéis. Documentos que provavam a cidadania americana de pais cujos filhos, na década de cinquenta se serviam para emigrar.

Podão – Pessoa que falha, que não tem sucesso, sobretudo em jogos.

Poço do gado – Bebedouro para bovinos.

Saber andar sem ninguém diante – Executar bem um trabalho ou actividade.

Saco de capucho – Saco dobrado num dos lados, colocado na cabeça para proteger da chuva.

Salgadeira – Talha de barro onde se guardava a carne de porco salgada

Soibe – Soube.

T’esconjuro – A culpa é tua, condeno-te.

Tomate de Capucho – Fisális.

Uma grandeza – Muito, grande quantidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 14:11

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (VI)

Sexta-feira, 27.12.13

Aqui se transcrevem mais algumas palavras, ditos ou expressões utilizadas na Fajã na década de cinquenta, sendo a maioria citada apenas de memória.

 

Ancinho - Utensílio semelhante ao sacho, mas com dentes como um garfo e que servia para misturar na terra o trevo ou a erva da casta, espalhados entre o milho.

Ajunta - Apanha

Arreganhar ei ventas – Fazer pouco de alguém.

Atraca – Fio geralmente de couro que prendia os chifres dos bovinos quando encangados.

Bem pchimchim – Muito pequeno.

Bufar o lume – Soprar o lume para que se acenda.

Camalhão – Rego feito na terra, com enxada para a sementeira

Coiso-Mau – Um dos nomes porque era chamado o Diabo

Dar oividos – Ouvir mexericos, ouvir o que outros dizem.

Ei ventas – O nariz.

Enferrolhado – Bem guardado.

Escorrupichar – Beber tudo.

Estar Fatalinho – Estar melhor.

Estás bem amanhado – Estás metido em problemas graves.

Faca bengala – Grande faca com que se matava o porco.

Fedorento – Pessoa insignificante, com pouco valor.

Godelhão – Tumescência. Inchaço, contendo pus e que se deve espremer.

Há muita força de tempo – Há muitos anos.

Inda agora – Há pouco.

Lagoas – Terrenos regados com muita água onde crescia erva, que era ceifada para as vacas leiteiras.

Lagos – Pequeno espaço rectangular ou quadrado, junto ao Rolo, onde cada qual guardava o seu sargaço.

Lunetas – Óculos.

Malcriado – Com falta de educação

Mais monço – Mais novo.

Mum perfeitinho – Criança bonita e saudável.

O monço piqueno – Irmão mais novo.

Ómessa – Espanto, admiração.

Ora bolas – Aborrecimento.

Ou, ou, ou – Som com que se pedia às vacas para pararem e elas paravam.

Palhoco – Tolo, parvo.

Parece q’tás mouco – Não me ouves.

Penduricalho – Algo que está suspenso ou amarrado no alto.

Porcalhão – Pessoa muito suja ou que suja muito.

Sissaricalho – Espécie de personagem mítica que fazia tudo trocado.

Tá um frie de rachar – Está muito frio.

Tá quedo – Pára.

Tamanco – Calçado grosseiro, de couro e sola rija e protegida com pregos.

Tomate de Capucho – Fisális.

Tranbulhão – Grande queda.

Ventania – Vento forte.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 17:52

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (V)

Quinta-feira, 28.11.13

Aqui se transcrevem mais algumas palavras, ditos ou expressões utilizadas na Fajã na década de cinquenta, sendo a maioria citada apenas de memória.

 

Apoquentar – Inquietar.

Arreganhar a taxa – Rir por tudo e por nada, fazer pouco de outro.

Avantajar – Sacudir os cereais contra o vento para separar o grão da moinha.

Bispar – Observar meticulosamente.

Blica – Pénis.

Cambeiros - Maxilares

Cemenos – Mau.                             

Chança - Oportunidade

Clauseta – Armário

Dar à trela – Falar sem ser necessário.

De veras – A sério,

Desbragalado – Com as roupas desabotoadas ou abertas no peito.

Enxúndia – Gordura de galinha utilizada outrora nas candeias das cozinhas.

Escaleira – Escada com degraus de pedra de um caminho ou canada.

Estás bem amanhado – Estás metido em problemas graves.

Falsa – Sótão.

Gadanhos – Mãos.

Gaitada – Gargalhada.

Galhos – Cornos, chifres.

Gama – Pastilha elástica.

Guindar – Saltar paredes (especialmente as vacas).

Há um bom padaço – Há muito tempo.

Linheiro - Ninho

Macaquins – Desenhos animados.

Nam t’inchergas – Não te conheces, desconheces a tua maneira de ser.

Nesga – Pouco.

Nisca de gente – Criança ou pessoa insignificante.

Pana – Alguidar de plástico.

Paranhas – Teias de aranha.

Pavia – Pequeno molho de rama de milho ou de um cereal..

Peleijar – Discutir com zanga, ralhar com alguém.

Pinchar – Saltar, pular.

Psinchinho – Muito pequeno

Resminés – Pouco abundante. Quase igual.

Samarra – casaco.

Serrado – Grande terreno agrícola.

Tirante – Trave da casa, solta, onde geralmente se pendura alguma coisa.

Uma pisquinha – Pouco, quase nada

Vento encanado – Corrente de  ar.

Wei home – Olá.

Zangaliar – Não estar seguro ou bem fixo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 20:15

PALAVRAS,EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (IV)

Sábado, 26.10.13

Amanha-te – Arranja-te como puderes.

Amassaria – Móvel da cozinha sobre o qual se amassava e tendia o pão.

Angrim – Ganga.

Apanhar frio – Constipar-se.

Arreganhar a venta – Fazer pouco, rir-se de alguém.

Badameco – Pessoa sem importância.

Bargas – Curcas, ceroulas.

Bexogas – Borbulhas na cara ou no corpo.

Botar – Pôr, colocar.

Cagão da Visita – Criança medrosa

Caldeação – Mistura.

Chove como Deus a dá – Chove muito

Coberta – Manta, cobertor.

Consumição – Grande preocupação.

Cortar-lhe a brocha – Expressão de gozo e de um animal de outra pessoa que é fraco.

De mãos a abanar – Preguiçar, andar sem fazer nada.

Derrama – Peditório feito na freguesia em benefício da igreja ou de algum projecto com ela relacionado.

Engadanhado – Desajeitado, pouco hábil para o desempenho de tarefas.

Enrilhado – Cheio de frio.

Espadas – Costas.

Espinha – Coluna vertebral.

Estar consumido – Estar muito preocupado.

Estrape – Fita de couro que prende a campainha ao pescoço da vaca.

Ficar xingado – Ficar sem meios ou sem possibilidades de resolver um problema grave.

Figo – Banana

Fino – Esperto.

Juntas – Articulações dos joelhos ou outras.

Laias – Fios de lã.

Lenço de calafate – Lenço colocado na cabeça e amarrado atrás, sobre o pescoço.

Louvado e louvedo o que a velha fez com o dedo – Admiração.

Malhões – Pedras encravadas no solo para dividir uma propriedade agrícola pertencente a donos diferentes.

Massa de ovos – Pão doce, com açúcar e ovos.

Morganho – Rato bebé.

Murrinha – Preguiça.

Não ver um palmo à frente do nariz – Não ver nada, ou ter dificuldade em ver.

Nariz empinado – Pessoa vaidosa ou julgada importante.

Pulo – Susto.

Sapato de queda alta – Sapato de salto alto.

Trilhar – Preparar os campos para a sementeiras com os próprios animais amarrados a uma estaca, alimentando-se de forrageira (trevo ou erva-da-casta).

Vou ir – Eu vou.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 16:32

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (III)

Segunda-feira, 21.10.13

Abalar – Caminhar, partir para outro local.

Acacular – Acogular, encher em demasia.

Acomoda-te – Sossega, está quieto.

Aduelas – Costelas.

Ala botes – Vamos embora, vai-te embora.

Alvaroses – Calças de ganga com suspensórios e peito.

Andar derreado – Estar cansado. Estar doente das costas.

Ar encanado – Corrente de ar.

Arreda-te – Afasta-te

Baque – Queda.

Bardamerda – Pessoa sem importância ou insulto.

Cagão – Medroso.

Caldeado – Misturado.

Casinha - Retrete

Cochim – Almofada.

Deitar-se com as galinhas – Deitar-se cedo.

Dia de Fio – Dia em que se ia ao mato juntar e tosquiar as ovelhas.

Estar à mão de semear – Estar prestes a levar uma sova ou uma tareia.

Estarraçar – Partir ou desfazer algo. Destruir.

Focse ou foco – Lâmpada de bolso.

Garrear – Brigar, lutar

Ir num pé e vir no outro – Ir depressa.

Lançar – Vomitar

Linha – Corda de estender a roupa.

Mentes – Enquanto.

Mercar – Comprar.

Meter o bico onde não se é chamado – Falar de mais, ou do que não nos diz respeito.

Meter o nariz em tudo – Bisbilhotar, coscuvilhar.

Não te consumas – Não te preocupes.

Não ver alma viva – Não ver ninguém.

Parto-te as galhetas –Dou-te na cara.

Peleijar – Discutir com zanga, ralhar com alguém.

Pilha – Lâmpada de bolso.

Pinote – Salto.

Pinotes – Amendoins.

Prisão – Gancho do cabelo das mulheres.

Quartos – Nádegas.

Raso – Cheio.

Soleta – Soleira da porta.

Tapona – Bofetada.

Ter bom arcaboiço – Ser forte.

Ter voz de cana rachada – Cantar mal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 23:12

PALAVRAS, DITOS E EXPRESSÕES UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (II)

Segunda-feira, 30.09.13

Balaio – Grande úbere de vaca quando muito cheio.

Beltro – Cinto das calças.

Benza-te Deus obra – Elogio a algo que é muito bom.

Cade? – Onde está?

Cambado – Manco.

Casa de fora - Sala

Coirão – Insulto a uma mulher com comportamentos e atitudes consideradas pouco decentes.

Como-te vivo – Dou-te uma grande tareia.

Cramar – Lamentar.

Criqui – Pequena galinha também conhecida por “Galinha da madeira”.

Daipa – Fralda de bebé.

Daipinha – Leve peça de roupa.

Dedo degolado – Ferida na parte debaixo de um dedo do pé.

Escarnento – Que faz pouco dos outros.

Escoimada – Limpa.

Estar fatalinho – Estar melhor.

Estar sempre a fugir com cu à seringa – Não querer trabalhar nem fazer nada.

Estar xingado – Estar mal, ter algum problema difícil ou impossível de resolver.

Ficar com o cu às costas – Ficar zangado.

Malino – Mau

Mojo – Úbere de vaca, ovelha ou cabra.

Não poder com um gato pendurado pelo rabo – Ser muito fraco.

Não ver patavina – Não entender ou não compreender nada nem coisa nenhuma.

Peleijar – Revoltar-se veementemente, com palavras, contra alguém.

Piauzinho – Criança inocente e indefesa.

Quique – Ponta-pé

Rechonchudo – Gordo.

Sanababicha – Malvado. Pessoa má.

Sanabagana – Malvado. Pessoa má.

Sascar – Magoar uma parte do corpo, geralmente um dedo.

Ser com’á mão de Deus – Ser muito bom. muito eficiente.

Ser como o frade Petiça que tudo o que vê cobiça – Ser invejoso.

Ser da pele de Ti Lúcio – Ser muito mau.

Só fé – Muito pequeno.

Tá um frio de rachar – O tempo está muito frio.

Tar à mão de semear – Estar perto de.

Ter a pele embrulhada nos ossos – Ser muito magro.

Ter sarna para se coçar – Ter muito que fazer ou estar em grandes dificuldades.

Tirar um olho pelo buraco do outro. - Dar cabo de alguém.

Toitição – Pancada na cabeça.

Topada – Ferida na parte superior de um dedo do pé, abrangendo a zona da unha, resultante de embate numa pedra da calçada ou caída num caminho.

Uma niquinha - Muito pouco.

Vai berda-merda – Expressão para rejeitar ou afastar outrem.

Vê se t’avias – Anda depressa, despacha-te.

Vimcá – Forma de chamamento das galinhas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 09:34

PALAVRAS, EXPRESSÕES E DITOS UTILIZADOS NA FAJÃ GRANDE (I)

Domingo, 25.08.13

Anamudo – Aquele que não tem medo.

Andar ao deus-dará – Viver irresponsavelmente, sob as ordens de ninguém.

Apanhar sargos – Tontear ou dormitar sentado, deixando cair a cabeça de vez em quando.

Atira-te da roch’ábaixo – Desaparece da minha frente.

Barra – Cama.

Bicho da buraca – Pessoa muito envergonhada.

Bisca malina – Mulher muito má.

Bota sintide – Presta atenção.

Caninos da caixa – Pequena gaveta que existia num dos lados das caixas da roupa e servia para guardar linhas, agulhas, tesouras, dedais, etc.

Deitar as tripas p’la boca fora – Vomitar muito.

Entregar – Proferir o nome do Diabo.

Está muito somenos – Está muito mau tempo ou qualquer outro estado mal.

Estar à mão de semear – Estar a fazer algo que merece um castigo

Estar entre a cruz e a caldeirinha – Estar quase a morrer.

Estar no mato sem cordas – Ter um problema grande e não dispor de meios suficientes para o resolver.

Estar por de trás das raízes do Monchique – Estar perdido ou estar tão longe de algo que se torna impossível alcançar.

Eu me benzo do Coiso-Mau – Expressão de revolta contra algo que se julga errado.

Falquejar – Cortar um pau com uma navalha ou canivete.

Faz trás – Incentivo aos animais bovinos para voltarem no fim de um rego, quando se lavravam os campos, ou noutra situação.

In coire – Completamente nu.

Mulher escoimada – Mulher muito limpa.

Naitigão – Camisa de dormir.

Não parar em ramo verde – Não estar quieto.

Os diabes te levem – Expressão para recriminar  quem fez uma grande asneira.

Pagar com conchas de lapas – Não ter dinheiro para comprar algo.

Pronto pra ir ver os senhores de bengala – Animal bovino, suficientemente nutrido, para ser vendido e embarcado para Lisboa.

Repnicar – Comer pedacinhos de um alimento antes da refeição ser servida.

Ser como as terras do Areal que prometem muito e dão pouco – Prometer muito mas fazer pouco.

Ser da pele do Eira-má – Ser muito mau.

Tá mais à mão – Está mais perto ou está disponível para ser usado.

Ter o diabe no corpe –Ser muito mau.

Tirapuxas - Discussões.

Toca a baixe e/ou toca à riba – Saudação entre duas pessoas, quando passavam uma pela outra, um a descer e o outro a subir.

Toca a descansar – Saudação de alguém que passava por outro ou outros que estavam sentados.

Tremer como varas verdes – Ter muito medo.

Ua grandeza – Grande quantidade.

Ui monços piquenes – As crianças.

Valha-mo nam sei-que-diga. – Expressão usada para indicar grande atrapalhação.

Xisqueiro – Casota do porco, anexa ao curral.

Xou pa trás – Incentivo ao porco ou às galinhas para se afastarem a fim de se lhes poder dar a comida.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por picodavigia2 às 19:06





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

VISITANTES

free web counter

calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728